Uma das coisas que gosto em nosso tempo ? que grande parte – talvez a maioria – das pessoas j? ? capaz de aceitar e se preocupar genuinamente com os direitos de outros povos e culturas com quem jamais ter?o contato.

Voc? pode viver em tranquilidade sabendo por exemplo que o povo do Tibete n?o pode seguir livremente seu curso pois a China o mant?m sob o seu controle? N?o lhe incomoda que as mulheres na ?ndia sejam levadas a ter vergonha da sua bela cor a ponto de haver propagandas da Unilever (a mesma que ? dona da Dove da ‘beleza natural’) enfatizando isso?

Ao meu ver n?o se trata somente de estarmos julgando as outras culturas de acordo com a nossa, mas principalmente da certeza de que cada ser (humano ou n?o) deve ter direito a liberdade e isso j? n?o ? mais uma quest?o cultural! Muito embora uma mulher possa escolher a liberdade de usar com orgulho uma burca.

A quest?o aqui ? justamente esta, o direito que temos de seguir a nossa hist?ria socio-cultural. Liberdade que o Tibete n?o tem tido.

Em resposta a isso temos pensado em boicotar os Jogos Ol?mpicos (acabo de aprender com o Thiago que olimp?adas ? o nome do intervalo de 4 anos entre os jogos) e muitos j? falam em viol?ncia durante os jogos.

Calar-nos n?o ? uma op??o e tenho pensado nisso e tentado pesquisar j? faz uns dois meses, mas n?o vou precisar mais pois o Thiago fez melhor do que eu e escreveu este post:

Presente de Chin?s e um neg?cio da Gr?cia

 ? um longo post, mas vale cada linha.

Ao que ele disse s? tenho a acrescentar (concordando com ele) como deixei em seus coment?rios que…

“A celebra??o do nosso esfor?o conjunto para superar nossos limites e nos unirmos sem fronteiras n?o deve se recolher em forma de protesto, muito pelo contr?rio! Tem que se expandir! Com todos os olhares voltados para a China talvez tenhamos chance de ver atletas e personalidades dando li??es ao governo e olhos podem se abrir entre o povo de l?.”