Dizem que os blogs morreram, cheguei a mudar a forma de apresentação desse meu blog. Passei um tempão escrevendo um post a cada duas semanas, uma tristeza para quem escrevia quase todo dia.

Então percebi que blog é blog, que tem coisas que precisam de mais palavras do que cabe em um e-pio no Twitter e que merecem um espaço mais pessoal do que aquele que temos no caos das redes sociais online.

É como se fosse a diferença entre um papo de bar (Twitter, Facebook etc) e a prosa delicadamente tecida entre amigos em sua sala de estar onde cada um tem o tempo que precisa para organizar seus pensamentos.

Um blog é uma sala de estar para amigos próximos.

Se acontece de um desconhecido passar por lá, ouvir o papo e deixar um comentário ou outro melhor ainda! A sala de estar do século XXI é muito mais elástica que as dos séculos passados, mas o clima continua o mesmo: é um lugar onde nos entregamos às nossas reflexões com mais calma.

Mas o que eu faço na minha sala de estar? Bem…

  • Antes de mais nada esse é um espaço para o sonho, um lugar para crônicas e devaneios
  • Aqui conto as coisas curiosas que vi e as reflexões que me despertaram
  • Aqui falo das ideias que ainda não desenvolvi o bastante para transformar em livro
  • Aqui vivem os fragmentos de alguns personagens que talvez um dia reividicarão seu lugar de direito
  • Aqui pretendo falar de arte