Nosso Lar (filme) por um ateu


Antes de começar é bom explicar direitinho o meu tipo de ateísmo: Simplesmente não vejo sinais de que existam deuses ou que a nossa consciência sobrevive à morte do corpo. Sendo assim não fico pensando muito em como será a minha vida depois de morrer preferindo me concentrar no que deve ser feito e nas ferramentas de que disponho agora que estou vivo. Quando morrer, se não acabar, vejo o que devo fazer :)

Dito isso…

Nosso Lar me emocionou.

Há dois pontos muito fortes na crença espírita que tocam fundo no coração de qualquer ser humano que não esteja desesperado a ponto de odiar tudo:

  1. Assim como no mito da caverna de Platão, a Terra é um lugar onde vão sendo implementadas aos poucos as características de um mundo espiritual onde a paz, o conhecimento, a compaixão e a harmonia estão a um passo de serem fatos absolutos
  2. O plano espiritual tem uma organização que impulsiona todos os indivíduos em direção à compaixão e a uma paz interior que os torna mais puros.

De todas as características humanas é a pureza e a disposição de ajudar os outros de forma totalmente desinteressada que mais me emocionam e há pelo menos três momentos assim no filme.

Lágrimas me vieram aos olhos.

Do meu ponto de vista religiões são mitologias, mas do ponto do vista dos religiosos elas são reais! São modelos que eles procuram seguir e tem um poder transformador incomparável à mera metáfora dos mitos.

Isso não quer dizer que eu não conheça um monte de espíritas que são mais rancorosos, intolerantes e preconceituosos que eu, mas, levado a sério (quase ninguém leva sua própria religião a sério), o espiritismo que vemos em Nosso Lar pode nos ajudar a nos tornarmos muito melhores.

Outro ponto importante é que as imagens do cristianismo, adequadas para as pessoas há 2000 anos, não são bem absorvidas pelas novas gerações que acabam se afastando da religiosidade. Enquanto isso o mundo espiritual do espiritismo é capaz de se ajustar a cada época evoluindo junto com a humanidade.

Além disso o espiritismo tem uma coisa que todo bom nerd (e sou um nerd) adora: o mundo é visto como um RPG onde ganhamos pontos de experiência (Bônus Hora) que podem ser convertidos em novas qualidades e até poderes.

Queria dizer tudo que vi de bom no filme antes de dar a minha opinião… Bem… Eu achei meio monótono, provavelmente por ver tudo aquilo como uma mitologia (espero que seja aceito lá assim mesmo). Para falar a verdade, acho que me sentiria meio entediado mesmo que fosse levado para um lugar como aquele depois de morrer.

Me pareceu que tudo lá é muito morno, falta um Jerry Lee Lewis ateando fogo na festa com Great Balls of Fire ;-)

,

10 respostas para “Nosso Lar (filme) por um ateu”

  1. Muito bom reconhecer a importncia da dimenso moral do filme. Afinal, no se trata de uma produo hollywoodiana cheia de velocidade, mortes banais, paixonites, vingana, herosmo e imposio da supremacia tecnolgica.

    Jerry Lee Lewis bom pra caramba! Mas no se preocupe, de acordo com a viso esprita, voc vai passar por locais que estejam de acordo com a tua sintonia. Ento h sempre chance de dar uma escapulida e “Shakin’ Going On”, rs.

    OBS: Se voc achou “Nosso Lar” entediante, imagine aquela verso tradicional do cu, com anjos tocando arpas.

    Forte abrao!

    • Hahaha! Nem me fale no cu judaico-cristo! ;) quando eu era pequeno foi uma das coisas que me afastou dessas religies!! Preferia o Vahala dos nrdicos que est mais para o umbral do que a pasmaceira celeste :)

      bom saber que vai ter um lar para o meu gosto tambm l em cima! Mas ainda assim no estou ansioso para saber no ;-) posso viver mais uns 500 anos sem saber como o plano astral :)

  2. Seu texto me emocionou pela simplicidade e pela forma como vc conseguiu sacar o ponto exato do que o espiritismo-kardecista acredita. Realmente, acreditamos que possvel fazer um mundo melhor pela fora dos nossos atos e atitudes e isso cria uma vibrao energtica capaz de influenciar outras pessoas e de evoluir nossa conscincia moral. Impressionante como bom olhar de fora para compreender melhor. Conheo diversas pessoas na religio que tiveram ainda esta compreenso. Sobre o mundo montono…rs…relax…h realmente diversas fases disso ai. O filme s abordou uma. A nica coisa que me deixou chateada no filme foi o excesso de futurismo no cenrio e etc…mas isso s a tal da stima arte mostrando seu valor. No influencia no entendimento da mensagem. E confesso, se, independente das religies, cada um de ns tentssemos nos aproximar, pelo menos um pouco, deste “modelo” do kardecismo…Ah, como este mundo seria melhor. Bem melhor. Beijos (www.estavaperdidanomar.blogspot.com)

  3. Antes de mais nada, parabns mais uma vez pelo belo post. J conversamos outras vezes sobre esse mesmo assunto e nessas oportunidades eu coloquei o meu ponto de vista sobre religio e existncia que agora compartilho nesse comentrio:

    Acho que o ser humano a obra mais divina de uma ser superior, ponto. Deus, Jeov, Senhor, Arquiteto, seja l o nome que for, o mais importante que eu acho nessa relao o legado que voc deixa da sua existncia fornecida por “Ele”.

    nessa pensamento que entra, na minha opinio, o Espiritismo. Porm, de uma forma menos organizada, menos estruturada organizacionalmente. Quando penso em religio, penso em amor. No penso em regras, doutrinas, ou mtodos. Amo porque amo! Amo porque sinto! E isso, no meu jeito racional de ver, no tem relao com o “Racional”! o.0

    O mais importante que vejo no Espiritismo a igualdade dentro das diferenas individuais de cada ser! Carregamos a natureza da criao dentro de ns e seria muito “pequeno” acreditar que o Universo mera fora do acaso! Afinal, o “Acaso no existe”!

    Paz para todos!

  4. Cresci sob influncia de minha irm kardecista, apesar do tio padre e de toda a criao catlica. Os motivos podem ser os mesmos que voc esboou acima. O espiritismo parece estabelecer parmetros palpveis dentro do possvel e do estudo da crena, naturalmente para integrar a crena ao mundo “fsico” de todo dia. Mesmo no praticante, o conceito me afim.

    O filme sobrevive aos tropeos de produo, ps-produo e atuao, legando mensagens que no necessariamente precisam apegar-se a crenas. Isso fundamental e emocionante. Pensei, rememorei experincias, sensaes e eventos de cunho pessoal que trouxeram lgrimas. Talvez seja o que importa.

  5. Oi Roney!
    Parabns pelo texto!
    Existem vrias citaes nos livros espritas que dizem que no importa aquilo que voc cr mas sim o que voc faz pelo seu prximo.
    E como voc uma pessoa muito empenhada em ajudar o prximo, mais vale algum assim do que uma pessoa que cr mas no faz uma palha pra ajudar, como aquela senhora que no queria trabalhar para ganhar os seus “bnus-hora”.
    Tenho orgulho de ser seu amigo.
    Grande abrao, querido!
    Carlos Andr

  6. Um dos incmodos da direo de arte que parecia estar assistindo a um lanamento de condomnio gigante na Barra. Quando morrer, no quero ir para Rio 2 ou Alphaville.

    :P :)

  7. man voc achou monotono n? Mas lembre que era 1930, as coisas devem ter evoluido por l , devem estar mais interessantes para nossas mentes tambm em evoluo, mas para 1930 aquilo devia ser uma coisa “de outro ” mundo.

    • Hehe! Verdade… Mas eu achei o filme montono e no o Nosso Lar que achei at animadinho, tirando as msicas que j me disseram que haveria planos para gostos mais animadinhos tambm :)

  8. Hahaha! Nem me fale no céu judaico-cristão! ;) quando eu era pequeno foi uma das coisas que me afastou dessas religiões!! Preferia o Vahala dos nórdicos que está mais para o umbral do que a pasmaceira celeste :)É bom saber que vai ter um lar para o meu gosto também lá em cima! Mas ainda assim não estou ansioso para saber não ;-) posso viver mais uns 500 anos sem saber como é o plano astral :)

Deixe um comentário para Cristiano Santos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!