Decepção, espectativa, desencanto


Recebo a mensagem de um parente: fulano tomou três doses da vacina contra a covid-19 e pegou a doença e depois criticam o presidente por não tomar (duvido que não tenha tomado, afinal ele impôs segredo a tudo na vida dele, mas essa é outra história.).

Outro já havia dito recentemente que uma pessoa que conhecia tinha morrido depois de um mês internada com covid-19 apesar de ter tomado as quatro doses indicada para idosos.

Fiquei com raiva. Como alguém que me conhece, que tem meu sangue, pode ser tão delirantemente mal informado e irracional? Por que ainda temos que explicar a pessoas que tiveram acesso a educação e tem tempo para continuar estudando o que é uma vacina? Como lidar com a insanidade que cega as pessoas para a queda exponencial de mortes conforme o mundo foi sendo vacinado ainda que a propagação do vírus até aumentasse graças a outros insanos que, em sociedades extremamente equipadas para se manter fisicamente distantes sem interromper o contato, insistem em soprar seus vírus uns nos outros e em crianças e idosos que tem menos condições de se proteger? Não é possível que tantas pessoas tenham limitações respiratórias ou psicológicas tão graves que não podem usar uma máscara PFF2, mas essa também é outra história.

Acho que, em parte, é isso que me deixa irritado, cansado: são muitas histórias de ignorância, desconexão da realidade e descaso com a vida se empilhando e o equilíbrio emocional, que tirou de letra o isolamento físico, se vai entre terraplanismos, “antivacinismos”, defesas a governos tão indefensáveis que não dá nem para começar a explicar… e talvez essa seja uma das estratégias para se manterem, o bombardeamento de insensibilidade e absurdos, mas veja, é mais uma outra história que não tem diretamente a ver com os parentes delirantes.

Na verdade, talvez o que me agride seja que, sabendo que penso como mostrei acima, quando me mandam esse tipo de insanidade estão realmente querendo me agredir. Aliás, também me agridem pois não todos sabem que desenvolvi pelo menos uma sequela depois da covid-19 que não teria desenvolvido se o governo não tivesse atrasado em meses a compra das vacinas. E nem sei se é consciente, afinal como estará a consciência de alguém cego para os resultados das vacinas? Para as formas como o governo jogou na sarjeta a imagem das forças militares, os valores familiares, a moral, a economia… Outra lista difícil de completar.

Compaixão e empatia… Percebo agora que tem um vazio disso também.

Quantas vezes converso com alguém que tem visões do mundo ou vieses totalmente diferentes dos meus, até antagônicos, mas trato com respeito e a pessoa também me trata do mesmo jeito sabendo que existem coisas muito mais importantes, que as diferenças de mundos não precisam nos impor distanciamento físico ou emocional. Bem, exceto quando um dos mundos se baseia na aniquilação de outros mundos.

Até entendo que as pessoas que acabaram se vendo capturadas em um mundo desconectado da realidade acabem com medo, desprezo ou ódio contra qualquer outro mundo que lance luz sobre a fragilidade daqueles delírios. Mas a gente espera mais daqueles que dizem que deviam ser a base da sociedade, a família… Ideia, aliás, que não engulo bem há mais de 40 anos, mas aí esta mais outra história, né?

Quanto as parentes… Decidi não responder porque não vejo esperança para eles agora ou através de mim. Quem sabe em outra época ou por intermédio de outras pessoas… Hoje eu preciso de paz e descarregar aqui aliviou a pressão que me apertava por dentro. Sinal que ainda me importo com elas…

Photo by Nathan Dumlao on Unsplash

,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!