Imagem: Jornal O Globo

O maior best seller da bienal. 75 mil exemplares na primeira edi??o. Mais de 4 mil vendidos s? na Bienal. A press?o dos pedidos j? fez a editora encomendar mais 120 mil exemplares. S?o quase 200 mil livros.

No Brasil raramente um autor nacional vende 30 mil livros (e demora um tempo para chegar a isso).

? o primeiro livro da autora. Ningu?m sabe se ela escreve bem. N?o ? sua literatura que querem consumir, ? sua hist?ria.

N?o, ela n?o viveu na S?ria nos ?ltimos 4 anos. Sua hist?ria ? muito parecida com a de muitas jovens mulheres por a?: bullying porque n?o se enquadrava no padr?o de beleza e de comportamento, sensa??o de inadequa??o e, finalmente supera??o atrav?s de algum tipo de sucesso. No caso, um canal no Youtube onde ela fala da vida dela atraindo quase seis milh?es de assinantes. De um modo geral ? apenas uma mulher comum de 22 anos.

Pela forma que eu apresento ? f?cil imaginar que acho que ? ruim que ela seja o maior fen?meno de vendas da Bienal do Livro (um dos maiores da nossa hist?ria, convenhamos) e realmente acho discut?vel.

Tem lados bons e ruins, como tudo.

A K?fera ? espont?nea e em geral faz bem a quem a assiste. ? bom que seja ela a atingir essa marca e n?o alguma pessoa cheia de preconceitos. A prop?sito isso diz muito a respeito da nossa sociedade: os padr?es de ?dolos que ela escolhe quando pode escolher literalmente qualquer um e n?o somente os que passam pelos filtros das gravadoras, TVs e editoras.

Quem n?o conhece a mo?a deve passar a conhecer, v? l? dar uma olhada no canal dela, o 5incominutos (cinco minutos tudo junto e com o n?mero 5 no lugar da letra “c”).

Talvez o lado ruim n?o seja o sucesso dela, mas a falta de sucesso de escritores mais experientes e que produzem cuidadosas obras de literatura ou pelo menos hist?rias empolgantes.

N?o estou falando que o livro dela ? ruim (afinal ningu?m leu ainda), mas que n?o ? isso que importa, n?o est?o comprando o livro, est?o comprando a K?fera.

Tenho certeza que ouvirei muita gente dizer que alimentar um mercado de venda de vloggers pode destruir o mercado editorial reduzindo-o a livros de colorir, conectar pontos e p?ginas impressas que vendem somente pela popularidade do autor.

Como amante das palavras bem esculpidas me sinto tentado a concordar… S? que n?o me parece l?gico. Essas pessoas ou nunca comprariam um livro ou leem outros livros (como o cara que l? Shakespeare e Tolkien).

A quest?o ? pensar em como estamos tratando os nossos livros que existem pelas hist?rias ou forma como moldam as palavras e n?o pela for?a da popularidade do autor ou do tema.

Qual ? a energia que voc? dedica aos livros? A l?-los e a falar deles para os amigos? Com que frequ?ncia voc? d? livros de presente? H? quanto tempo escreveu a ?ltima resenha sobre um livro?

Vamos nos lembrar que o sucesso da K?fera pode at? n?o fazer nada pelo mundo da literatura (mas provavelmente far? algum bem), entretanto n?o ? ele que atrapalha o crescimento da leitura no Brasil e, n?o, tamb?m n?o ? a Globo ou o governo que atrapalham.

Sabe, inventaram essa tal de Internet que permite que uma guria de 17 anos se torne o maior fen?meno editorial de uma das maiores feiras de livros do mundo antes de chegar aos 23 anos. A Internet est? a? para ela usar e para todos os outros tamb?m. Arregace suas mangas, v? fazer seu vlogg, blog, Medium, junte com amigos para fazer um coletivo online sobre literatura, publique suas obras nas Amazons da vida.

Dois dias depois…

Saiu no G1 que a Bienal do Livro deve ter apresentado um aumento de 10% gra?as aos jovens e desenvolvi um pouco mais as ideias acima:

Voc? mostra isso e diz que estamos criando uma gera??o de leitores e vem algu?m dizer que voc? ? otimista, que livro de vlogger, de blogueira, de padre n?o ? livro.

Cara, chamar algu?m de otimista ou de pessimista ? o mesmo que dizer que a m?e trabalha alugando o corpo! Essas pessoas que chamams os outros de otimistas que tomem vergonha nessa cara e assumam que s?o pessimistas (e liguem para suas m?es para pedir desculpas).

Sim, seria melhor se esses jovens estivessem lendo… Ahhh… Pera a?! N?o vou facilitar n?o! Eu n?o vou dizer nenhum autor ou autora modernos de “alta literatura” facilitando para os pessimistas que, geralmente, pararam em Shakespeare ou Machado de Assis.

T? certo, seria sim, mas quando n?o h? uma cultura em torno de algo ? necess?rio cri?-la antes.

H? 40 anos j? n?o existia uma cultura de ler e foi com um monte de porcaria (pensamento positivo, ufologia) que comecei a ler. S? depois fui para o Fernando Pessoa, Cruz e Sousa etc.

Ent?o pare de procurar raz?es para colocar um cartaz de “o fim est? pr?ximo” no peito e pense no que pode ser feito para potencializar esse crescimento constante dos leitores.
Que tal escrever contos em um blog ou na Amazon? Talvez at? uns livros?