A pergunta estava l? na minha timeline do Facebook junto com o artigo Crime e Preconceito: m?es e filhos de santo s?o expulsos de favelas por traficantes evang?licos.

Acho que o assunto ? importante demais para ficar perdido em uma resposta no Facebook que logo desaparece ent?o decidi copiar para c? o que penso a respeito.

Olha… N?o vejo erro nenhum… E n?o tem nada a ver com papo ativista anti religioso, ok?

Acho que, h? uns 1400 anos pelo menos, a gente chama duas coisas distintas de religi?o.

S?o mais que distintas, s?o opostas, ant?teses, e a segunda est? ferindo duramente a primeira.

Existem pessoas que se re?nem em torno de intui??es m?sticas sobre a natureza do Cosmos e procuram se desenvolver mental e moralmente em dire??o a uma divindade inalcan??vel pois ? perfeita ou, pelo menos, fruto dos esfor?os mais ut?picos da nossa imagina??o.

Esse grupo abriga grandes s?bios e s?bias. Pessoas humildes que engrandecem nossa civiliza??o. Eles podem ser cat?licos, evang?licos, budistas, mu?ulmanos…

O segundo grupo se autodenomina evang?lico, cat?lico, mul?umano etc. mas n?o demonstra qualquer interesse no desenvolvimento pessoal ou humildade diante de uma divindade que est? al?m deles, pelo contr?rio, a divindade nesse caso ? escrava das suas vontades e ambi??es. Simples assim.

Tomando a mitologia crist? eles s?o parte do anticristo. Tomam para s? o poder e a palavra de Deus.

Acho uma pena que os ateus agn?sticos, que deveriam ser os primeiros a perceber isso, confundam a guerra entre os dois grupos, entretanto ? alarmante que os que realmente buscam o aspecto divino no Cosmos raramente percebam o inimigo vestindo seus h?bitos…

Essa introdu??o toda ? para que minha afirma??o n?o seja mal entendida:

N?o h? surpresa em vermos anticristos traficantes…

Em tempo: isso n?o ? uma exclusividade evang?lica! Vimos o catolicismo ser usado da mesma forma nas cruzadas, o islamismo foi t?o ferido que ? visto por muitos como uma religi?o de fan?ticos violentos.

O caminho religioso ? subjetivo e isso deixa espa?o para distor??es absurdas. Essa reflex?o aparece at? em filmes pop recentes como O Livro de Eli…

Imagem: banner para o filme O Livro de Eli por ScreenCrave.