Estava lendo sobre a primeira vez no Sexto Sexo e…

Eles chegam entre beijos apaixonados ao andar onde ela mora, as luzes se apagam antes deles entrarem e seus corpos se encaixam entre duas paredes entregando-se aos beijos sem flego, o desejo dos 18, 19 anos.

Mos exitantes procuram as fendas nas roupas para sentir o calor da pele do outro e uma leve tonteira toma conta dos dois apaixonados.

Entram em casa apesar de j no fazer muito sentido dentro ou fora pois o mundo parece estranhamente malevel, como se as paredes no fossem slidas, mas imagens de um sonho onde tudo acontece rpido demais apesar de andar em cmera lenta.

Olham-se sem ar entre os beijos, tocam-se sem foco entre gemidos que escapam ao medo de dar uma impresso errada, experimentam carcias timidamente, antecipam o prximo passo com o corao descompassado e aquela sensao de peito vazio.

Meio sem querer, meio cheios de querer, mas sem palavras, vo se livrando estabanadamente das roupas que se enrolam nas pernas, na cabea e nos ps antes de sumirem em algum lugar no cho.

Ela no sabe se deve tocar, ele acha que no deve pedir, no dizem nada, apenas se misturam em uma nuvem de perfumes, calores e humidade.

O corpo nu dela tambm um territrio extranho e desfocado ou ele est zonzo. Sem olhar demais com medo dela pensar que ele um adolescente deslumbrado com o sexo ( justamente o que ele ) deita-se desjeitadamente sobre ela, sem saber como encontrar o caminho entre o calor mido passa a tatear at que ela o ajuda com suas mos delicadas e to inexperientes quanto as dele.

"Ai! No acredito! Bom! Vou desmaiar! T flutuando?" os pensamentos se misturam to rapidamente entre a coreografia em cmera lenta dos corpos que no d tempo de ter dvidas ou medos, tudo se perde entre a suspenso do oxignio entre um suspiro e um gemido de lbios mordidos, do calor que os invade conforme encontram o caminho e se perdem dos sentidos e do mundo como se houvesse apenas seus corpos suspensos no infinito negro do Universo vazio.