Berrado a plenos pulm?es, sussurrado entre l?grimas para um amigo ou amiga muito especial ou apenas na intimidade dos nossos pensamentos mais solit?rios muita gente se sente assim: n?o aguenta ser ela mesma.

Nos esquecemos que nenhum de n?s “?”. Todos “estamos sendo”.

Em contraste ao nosso corpo que segue um ritmo mais ou menos inevit?vel nossa consci?ncia ? livre para se mover e at? deseja se transformar.

O que nos impede de nos transformar s?o as expectativas dos amigos, da nossa cultura e da opressora estrutura do trabalho moderno.

A quest?o n?o ? mudar de emprego, amigos, fam?lia ou pa?s, basta notarmos que nossa forma de ver o mundo e a n?s mesmos est? sempre mudando e passar a observar essas mudan?as e decidir…

… Como mudarei amanh??

Tamb?m ? a press?o da desesperan?a que nos faz torcer o nariz para tudo que parece auto-ajuda, mas francamente, foi em um desses livros que achei algumas das melhores ferramentas de auto-transforma??o: