Enquanto voc? l? essas linhas, seja online, seja em um papel, voc? est? lendo as palavras de uma pessoa virtual?

Est? na hora de repensar o que ? virtual e o que ? real.

No col?gio nos encontramos todos os dias com a mesma turma de amigos, se temos a sorte de morar em uma rua legal brincamos quase todos os dias com os mesmos amigos e nas dificuldades e alegrias cotidianos criamos amizades reais.

O real é o que temos perto de n?s tempo o bastante para conhecer.

Quando crescemos vamos para o trabalho onde h? outras disputas muito diferentes das do col?gio ou da rua da inf?ncia quando os desafios eram a auto-supera??o para passar nas provas e a uni?o para disputar com a turma da outra rua.

Na vida adulta os relacionamentos est?o cercados de segundas inten??es, seja no trabalho, seja ao conhecer algu?m numa boate ou restaurante. S?o relacionamentos virtuais.

? muito f?cil dissimular o que realmente somos, pensamos ou sentimos quando nos encontramos apenas no trabalho ou por algumas horas nos finais de semana.

? a comunica??o que nos liga aos anseios, pensamentos, qualidades e sentimentos um dos outros.

Real ? o brilho nos olhos, mas precisamos das palavras, esse instrumento t?o virtual, para entender o outro.

Precisamos tamb?m das palavras escritas em livros, nos jornais, nos blogs, nos chats, no Twitter, no email ou o rosto na telinha do Skype.

O chamado mundo virtual (online) nos permite estar em contato real com os amigos de verdade todo dia, toda hora estreitando la?os, compartilhando a vida.

? tamb?m no mundo online que podemos ver as pessoas de forma mais integral pois l? em seus blogs e perfis em redes sociais online ? que elas mostram diariamente o que as move, com quem andam e o que fazem.

O real est? online, ? offline que estamos ? merc? do virtual.