Os relacionamentos no início deste século são um tanto frios e superficiais; muitas vezes limitados ao pequeno grupo de amigos da vez.

Os amigos do passado são nossa melhor chance de confrontamento com as nossas incoerências, pequenos e grandes erros. As velhas amizades são um dos nossos melhores instrumentos de evolução.

Por isso pegue sua agenda toda semana e ligue, mande um email ou um torpedo para um amigo ou amiga com quem não fala há mais de seis meses nem que seja dizendo apenas “lembrei de você, como vai?“.

Seja como for, em hipótese alguma, jamais, lhes mande a cópia de algo que outra pessoa escreveu: uma lembrança pessoal é melhor do que o mais inspirado texto de Shakespeare.