Assisti um episdio hoje em minha linha do tempo no Facebook que pode ser ilustrativo a respeito do assdio moral ou bullying.

Ah! No sou psiquiatra, mas tive que lidar muito com bullying e o que compartilho a seguir so opnies pragmticas, ok? Para estudos formais procure publicaes cientficas sobre o tema, por favor. Alis pode compartilh-las nos comentrios.

Segue a situao primeiro sem julgamento de causa apenas para contextualizar.

Uma amiga publicou a imagem de um brinquedo nerd e comentou que a filha viu e gritou “Mim daaaaaa!!!!” (entre aspas).

A expresso “Mim daaaaaa!!!” um tipo de piada interna do grupo que formado basicamente por estudiosos de lingustica que, alis, brincam com termos como corro e comofas, como o piloto que se entretm forando os limites da sua mquina, mas isso assunto para outro post.

Como a publicao era aberta acabou aparecendo na linha do tempo de uma amiga minha que decidiu criticar a filha da autora do post dizendo mais ou menos o seguinte (ela apagou):

A filha da fulana est precisando ir mais escola

Na sequncia amigos da autora do post e a prpria autora explicaram que a expresso era uma brincadeira, observaram a falha dela em perceber o contexto e alguns crticaram a falta de educao de ir entrando no post dos outros para criticar seus filhos.

Comentei explicando que a expresso no era da menina e sim uma brincadeira do grupo, mas, tomando as dores pelo que considerei um bullyng a uma criana cuja idade ela no sabia (13 anos), eu disse que ela se envergonhou pois passou pela “moa esquisita que no entende uma piada”.

A amiga continuou escrevendo o seguinte:

meu amigo querido, parabns a filha dela por ser to bem articulada, mas mas, se foi brincadeira, acho de pssimo gosto ” assassinar o portugus” e ainda divulgar isto. E E, por outro lado, realmente tenho zero tolerncia com erros de portugus, concordncia e etc, quem escreve ” para mim fazer” , ” vou te amostrar” e absurdos afins no fica na minha linha do tempo! Intolerncia ou no, e assim que eu sou e vc que me conhece a h muito tempo sabe bem disso… No fao comentrios irrefletidos, apenas mantenho minhas convices. Quem gostar , gostou, quem no gostar eu no estou nem a! E quem quiser me criticar, estejam esteja a vontade, tb no ligo a mnima! Bjs

Marquei alguns erros de portugus. Note os espaos depois das aspas e antes das vrgulas. No d para ver quando o “e” est cortado e tem um sobrando antes de “etc.”.

claro que, a partir da, as pessoas, j irritadas pela falta de educao, passaram a apontar cada erro do comentrio. Todos riam muito ali mesmo e nos comentrios em paralelo. No fiquei com pena da amiga que ainda veio conversar comigo por chat dizendo que se surpreendia que eu fosse amigo de pessoas “babacas” e reafirmando que no cometia erros. Minha resposta para ela no foi a esperada…

Achei que valia a pena escrever esse post por dois motivos.

Primeiro motivo: por que foi to engraado?

Vamos sintetizar?

Uma pessoa entrou em uma publicao de uma desconhecida, criticou a filha dela por no saber falar portugus, certo?

J fez isso de forma um pouco ridcula pois pareceu, aos olhos das pessoas ao “redor”, analfabeta funcional por no notar que a expresso era uma brincadeira.

Ao ser criticada ela replica com um texto repleto de erros! Vrios que a menina de 13 anos jamais cometeria.

Foi como o valento da escola que vem bater no fracote e escorrega, ou pior, leva uma coa da sua vtima que vinha estudando artes marciais.

Isso o engraado: o assediador moral ser exposto ou “o feitio malgno virar contra o feiticeiro”.

Fazer graa do assediador moral uma forma de humor politicamente incorreto pois, claro, expe o outro ao ridculo, mas ele estava fazendo isso primeiro.

Trata-se de um sentimento de justia que leva ao riso. Um “Hahahaha! Se F$#*&”.

Quanto mais a pessoa se debate pior. E no caso, desculpe, mas tenho que dizer, a assediadora se deu muito mal por ter cado em um grupo de pessoas extremamente bem-sucedidas, entre os melhores das suas reas. A cada vez que ela chamava o grupo de desocupado ou tentava apelar para a autoridade por ter publicado um livro… um livro… Bem, quanto mais ela se debatia, mais gerava risos.

Esse massacre me leva ao segundo motivo.

O Bullie sabe que um assediador moral?
Eu realmente fiquei em dvida se a minha amiga, digo, ex-amiga j que ela me bloqueou, percebeu que estava sendo profundamente mal-educada. Mesmo que ela tivesse um domnio espetacular da nossa lngua ela estaria errada.

Me pergunto se ela enfrentava o grupo por orgulho, pela incapacidade de admitir que estava errada ou se realmente via de outra forma.

Tenho a impresso de que o assediador geralmente se sente mesmo como um ser superior que tem a prerrogativa de consertar o mundo, de ser um tipo de guardio da sua causa enquanto os outros devem aceitar sua autoridade sem discutir.

No estou dizendo que devemos ter pena do assediador, mas devemos entend-lo.

Muitas vezes vi amigos querendo “acertar as coisas” com o assediador, mas ele no v da mesma forma que ns vemos.

Eu realmente acho que, quando a ex-amiga veio falar comigo em particular, ela esperava que eu reconhecesse que ela estava certa, que estava punindo as pessoas que se atreveram a ser malignas corrompendo nossa lngua.

Troque a o portugus por famlia, raa, cultura, sexualidade, gnero…

Sim, o dispositivo praticamente o mesmo: a pessoa est hipnotizada pelo prprio umbigo e onfalofbica em relao aos umbigos alheios (desculpe pelo onfalofbico, mas pelo menos facilitei colocando o link para o dicionrio).

O assediador muitas vezes entende que a realidade dele absolutamente correta e que a interferncia da realidade alheia coloca em risco o Universo… T, Universo pode ser um exagero, mas percebido por ele como uma sria degenerao da realidade.

Quanto melhor entendemos o assediador melhor sabemos lidar com ele.

Concluso
Felizmente a vtima, apesar de jovem, est muito bem equipada para lidar com assdios morais e os amigos dela e da me sabem disso, e assim mesmo partiram para defend-la. Por qu?

Porque, mesmo quando a gente sabe se defender, o carinho dos amigos bem-vindo. Porque o assdio moral no pode ser uma coisa para a qual viramos a cara! Porque o assediador moral no deve ter a impresso de que est em maioria.

A propsito, a “vtima” colaborou com duas timas tiradas:

“MEO DEOS! Eu tiro um cochilo e quando acordo tem quase cem comentrios novos! YOU S PODE T DE BRINQUEITION WITH ME, CARA!!”

E esse clipe:
[youtube]KsxSxF3JKeU[/youtube]

Em tempo, o elitismo…
Achei interessante a amiga, ops, ex-amiga dizer que jamais teria em sua timeline algum que escreve mal. Ser mesmo que esse um bom critrio para escolher amigos? Algum que escreve bem mais tico, moral e educado? mais fiel aos amigos? Quem no sabe escrever bem uma pessoa m?

Bem… Ela no sabe escrever e foi muito grosseira, ento… :-P

No! claro que o fato de ela no dominar bem a escrita e no saber disso no tem nada a ver com sua educao, mas seus critrios para escolher amigos so sintomticos.

Ela parece escolher as companhias por critrios de superioridade intelectual e no moral.

obvio que queremos amigos espertos, mas antes de ser espertos queremos que sejam boas pessoas.

No final das contas sempre chegamos a isso: os assediadores morais normalmente so pessoas sem amigos de verdade, sem a capacidade de form-los.

H muito tempo perdi contato dirio com essa amiga (quase 30 anos na verdade) e no tenho como confirmar essa hiptese, mas parece muito provvel.

Fonte da imagem do cabealho: Livres Pensadores