Me sinto um pouco pai do projeto da Cl?udia Belhassof (minha esposa), ?rika Lessa e Marcelo Neves. N?o apenas por ser marido de uma das organizadoras, mas por ter participado da primeira edi??o falando sobre a import?ncia do tradutor ter um site e uma presen?a online.

Al?m disso acho a arte da tradu??o t?o importante na constru??o do mundo moderno onde as fronteiras entre as diversas culturas precisam se transformar em pontes para sua comunica??o e para a combina??o da sua riqueza cultural que me surpreende que n?o houvesse ainda um programa brasileiro s? sobre tradu??o (a televis?o e outros meios podiam se inspirar em iniciativas como essa).

Tor?o para o projeto estimular o surgimento de blogs, podcasts e videocasts espec?ficos para interpreta??o, legendagem e outras especialidades dentro da ?rea de tradu??o. Creio que h? espa?o para isso e ele deve crescer.

Vivemos a era da automatiza??o do racioc?nio. J? passamos pela automatiza??o do trabalho bra?al durante a revolu??o industrial e agora vemos as atividades intelectuais autom?ticas sendo necessariamente feita por m?quinas.

Afinal vivemos justamente o fim das fronteiras de comunica??o. A economia cada vez mais globalizada exige a cria??o de tradutores mec?nicos j? que seria humanamente imposs?vel traduzir a Internet.

No entanto da mesma forma que a revolu??o industrial valorizou o trabalho art?stico a revolu??o do conhecimento mostrar? (ao meu ver) como ? precioso o trabalho dos bons tradutores humanos: eles n?o traduzem ideias, traduzem culturas.