Outro dia a Ju esteve aqui. A J um monte de coisas. Atriz, bailarina, culta, jovem, espiritualizada, mas acima de tudo uma amiga transgressora, s falta ela ter um blog e transgredir online! A gente certamente teria muito a ganhar com isso.

Como ela tantas coisas, mas no ciberntica vou escrever este post por ela.

Quando esteve aqui criticou horrores o Michael Moore pelo jeito como manipula os seus "documentrios".

Discordei dela, aquela histria de "os fins justificam os meios".

Acontece que depois vi o documentrio canadense sobre ele (construindo discrdia ou coisa assim, t gravado) e… Ela est certa. O cara fora muito a barra.

Considerando que o documentrio no faz com ele o que diz que ele fez em seus prprios documentrios tenho que admitir que ele no se limita a fazer uma edio mais emotiva ou colocar algumas coisas fora de contexto. Ele supostamente estaria mesmo fabricando fatos que jamais aconteceram e ocultando outros que ocorreram.

Continuo concordando com boa parte do que ele quer dizer e achando que ele, pelo menos, chamou ateno de algumas coisas que precisam ser debatidas, mas ele compromete a prpria causa se faz as coisas de que acusado.

S me pergunto porqu os outros classificam os seus filmes (e at lhes do prmios) como documentrios em vez de fico poltica ou coisa assim.

S para constar aqui vai a lista de coisas que o vejo dizendo em seus filmes e com que eu concordo:

  • Corporaes no tem nacionalidade ou bom senso e realmente no se incomodam em destruir o meio ambiente ou despedir gente para aumentar lucros
  • O terror do 11 de setembro foi usado para disseminar mais terror e manipular a opinio pblica para permitir um monte de coisas ruins para o povo estadunidense
  • Um sdico culto ao medo e ao consumismo provavelmente uma das maiores causas de atrocidades como a que ocorreu em Columbine
  • Nem vi o filme ainda, mas tenho ouvido que nos EUA quem no faz parte do clube do consumo no tem sequer assistncia mdica

Pronto, agora posso voltar para a srie do P! ;-)