Delirium VII

Os carros saindo velozes e assustados da boca do túnel desenham riscos coloridos diante do menino sentado no meio do barro úmido no sopé da Rocinha. Um arco-iris de tons de azul, branco e negro até que um brilhante risco amarelo reluz por um instante fazendo o menino...

Delirium IV

A janela no décimo quarto andar sacoleja como se fosse estourar ante a pressão do vento que ergue jornais, folhas e sacos plásticos de mercado além do cume dos edifícios. Morte e Delirium – Pinterest de Thais Vasconcelos Atrás do vidro, enrolado em um cachecol,...

Fragmentos de fantasia IV

O meio-dia entra pela janela onde Jorge não teve dinheiro para colocar cortinas e o desperta cedo demais, depois de apenas umas cinco horas de sono. Muitas vezes uma noite de sono é um intervalo tão extenso quanto uma morte e uma reencarnação, tudo que aconteceu no...