A fé nos poupa o desespero, mas não é capaz de abafar o sofrimento.

Na madrugada de hoje o Shadow, nosso cãozinho de 9 anos, passou mal. Teve primeiros socorros de madrugada no veterinário. Ainda brincava alegremente apesar da falta de ar.

Chegou aqui jovem, depois de sofrer muitos maus tratos. Era um sujeito de olhar suave e amigável:

Dois dias antes de partir ainda mantinha o mesmo jeito juvenil e plácido dos primeiros anos.


Quando chegou aqui em casa depois dos primeiros socorros senti o cheiro de terra molhada que chega até nós das profundezas da Terra, de cavernas profundas. Era o suave hálito da Morte dizendo que vinha para levá-lo.

Este é o ciclo da vida… Experimentamos a Terra alimentando-nos dos seus frutos, vivendo suas estações e, no final, retornamos a ela carregando como bagagem apenas nossos sentimentos, ideias e memórias.

O pequeno Shadow expirou nas minhas mãos depois de visitar cada canto preferido da casa, depois de ir ao canto do velho amigo Bilbo (que nos deixou alguns anos atrás) para se lembrar dele ou talvez para comprimentá-lo. Quem sabe?

Escolheu ter seus últimos suspiros sob a nossa cama, velado pelos nossos carinhos e lágrimas inevitáveis.

Neste momento ele segue adiante no ciclo da vida alimentando a terra onde crescerá um ficus.