Viramos o ano vestindo, pedindo e cantando a paz, mas que paz ? esta?

A paz n?o ? um objeto, tamb?m n?o ? o estado alcan?ado na aus?ncia de conflito. Quando pedimos paz temos que lhe dar um corpo ou uma alma.

O ano se inicia no Rio de Janeiro com a declara??o de guerra ao dito terrorismo do tr?fico. Este ? um bom exemplo da paz que perseguimos que n?o passa da tentativa v? de afastar de n?s o conflito.

A confus?o a respeito do que perturba a paz se reflete nas palavras do presidente que se define como terrorismo o que houve no Rio e se prepara para combat?-lo com ?”…a pol?tica forte e com a m?o forte do Estado brasileiro”, mas ao mesmo tempo afirma que?a viol?ncia ? “erros hist?ricos acumulados por toda a sociedade brasileira”, que h? “um processo de degrada??o da estrutura da sociedade brasileira” e que ? preciso que “Porque ? preciso que a fam?lia brasileira seja a base, o alicerce dessa socieda pujante que n?s queremos criar.”

Afinal ? terrorismo e deve ser combatido com for?a ou ? degrada??o moral que deve ser curada com educa??o, sa?de, cultura, arte, justi?a e cidadania?

Terrorismo ? o que a m?dia e a pr?pria classe pol?tica fazem conosco ao atribuir ao caos da marginalidade uma inten??o e organiza??o que eles n?o tem. Talvez tenham alguma organiza??o, porem muito menos do que aquela dos grupos terroristas e certamente n?o tem outra inten??o al?m de roubar enquanto atr?s dos grupos terroristas h? justificativas ideol?gicas para d?spotas que desejam tomar o poder, geralmente financiados por alguma grande na??o.

O crime deve ser contido, ? claro, mas descer sobre ele o bra?o cada vez mais curto da lei faz lembrar do fundamentalismo religioso medieval que aconselhava “se os seus olhos te ofendem, arranque-os!”. E cegos estaremos prontos a vagar entre o caos sem nada ver e sem nada resolver…

2007 come?a hoje, o que voc? vai fazer para ter o que comemorar no dia 31 de dezembro?