Para muitas pessoas a vida n?o ? a coisa mais preciosa que n?s temos. Para muitas pessoas h? um lugar muito melhor que a vida nos esperamos depois que morremos.

Essas pessoas provavelmente ter?o algum tipo de compaix?o ou pena de mim e achar?o rom?ntica a hist?ria do homem que decidiu destruir o maior tributo ? vida da mulher que ele amou: sua pr?pria vida.

A Maffalda me enviou a hist?ria por email, mas percebi que devia responder com um post pois h? muitos que se matam ou vivem ? espera da morte e me parece que, mesmo que existam deuses, para?sos ou mundos espirituais maravilhoso se os deuses nos quisessem l? n?o estar?amos vivos e portanto a vida ? mais sagrada do que qualquer dimens?o sobrenatural. E, claro, se n?o existe nada disso ent?o a vida ? simplesmente a ?nica coisa que n?s temos realmente importante pois sem ela n?o podemos desfrutar e ajudar a construir a hist?ria do Universo.

A hist?ria para mim ? muito triste. A esposa do sujeito morre, ele decide se suicidar, mas se lembra que ela uma vez lhe perguntou se Romeu teria se matado se esperasse 1000 dias para fazer isso em vez de faz?-lo ainda sob o efeito da emo??o de ter Julieta supostamente morta em seus bra?os.

Ele decide provar que amava mais sua esposa do que Romeu amava Julieta, ali?s ele decide provar que a amava mais do que ama o mundo e passa 1000 dias aproveitando o que supostamente haveria de melhor na vida e depois se suicida.

Com ele foi-se embora o maior testemunho de como sua esposa era maravilhosa. O que ele fez foi mat?-la mais uma vez.

Eu j? perdi algumas pessoas importantes, perderei outras com certeza e… uma parte ego?sta de mim prefere morrer antes das pessoas mais importantes, mas eu realmente prefiro ser o ?litmo pois tenho fortemente gravado em minha mente, consci?ncia – ou alma se vc preferir – que a vida ? o maior tributo ao amor, o ?nico tributo ao Universo.

Cada vez que perco algu?m importante para mim sinto que devo viver mais plenamente em mem?ria dessas pessoas e, se realmente eu perder aquelas duas ou tr?s pessoas mais importantes do que todas as outras creio que me lan?arei em uma jornada tamb?m, mas uma jornada de vida, uma jornada de dias sem fim compartilhando esperan?a, alegria, sonhos e realizando coisas com outras pessoas.

Se voc? seguir o link da hist?ria desse rapaz que se matou ver? que o texto detecta muito bem que os 1000 dias dele aparentemente n?o foram em busca de pessoas, mas sim dos ?cones superficiais da sociedade do espet?culo como Guy Debord os descreveu.

Ele buscou sentido na vida atrav?s do espet?culo, mas se queremos realmente encontrar algum sentido nela devemos ir ao encontro da sua ess?ncia que, creio eu, n?o est? no amor pois a vida ? maior que o amor, est? na experimenta??o do que ? REAL como um abra?o, o choro da crian?a que brigou com o melhor amigo, escrever um belo texto sobre seus sonhos…