Subi as escadas para o bar do Bar do Zira e l estava um palco apertadinho, cheio de fiios espalhados pelo cho e quatro Mulheres. Artistas daquela rara extirpe que capaz de transformar os espaos tornando grande o que pequeno e ntimo o que vasto.

Esta foi a primeira vez que vi as cinco Mulheres de Hollanda.

No um cover do Chico Buarque, uma reencarnao. Elas cantam com o jeito delas e, mais importante, com o jeito de hoje pois o sculo XXI pode no ter chegado, mas o XX certamente j acabou!

Suas marcas, a do sculo passado, so fortes, sculos no se vo assim sem lutar, mas os ventos j so definitivamente outros e a arte deve se transformar para abraar o futuro, mesmo quando fala do passado.

O sabor novo nos arranjos e interpretaes das Mulheres de Hollanda no est (pelo menos no na poca, j faz um tempo que no as escuto por contingncia do meu tempo) na insero de estranhos floreios eletrnicos ou influncias globalizadas (nada contra), mas sim em algo mais sutil como a fora desta palavra, a qualidade do sentimento naquela frase. Pequenos detalhes que transformam um canto de dor em semente da fora para a superao.

Estes dias fiquei sabendo que vo lanar um DVD e CD aqui:

  • 30/7/08 – Centro Cultural Carioca | 21 2522-6468
  • 31/7/08 – Trianon RJ | 21 2726-3500
  • 01/8/05 – Mistura Fina RJ | 21 2523-1703

Vale a pena ir conferir.

O site das moas est em reforma, mas tem uma canjinha no Myspace.