Capa do livro Vanity Fair's How a Book is Born
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Pinterest
  • Gmail
  • Tumblr
Um visão de dentro do mercado editorial

Se você, como eu, fica se perguntando como funciona o mercado editorial, por que tantos livros bons são ignorados por anos pelas editoras, qual é o papel dos editores, agentes (sim, existem agentes), livrarias físicas e digitais então esse livro é para você.

Serve tanto para quem quer escrever e vender seu livro quanto para quem gostaria de trabalhar no mercado editorial, mas o melhor é que não é um livro técnico, é um romance!

Através da história de um livro que demorou 10 anos para ser escrito o autor vai nos conduzindo pelos corredores da criação literária.

Graças a essa indicação (valeu Lari Lena) mudei muito a visão que eu tinha desse mercado.

Nós leitores e os escritores reclamamos (com razão) que é um mercado obcecado pelo lucro, que ignora lindas obras simplesmente por acharem que não venderão muito e, pior ainda, se agarram ao estilo da vez prejudicando a diversidade da experiência da leitura. Tem época de livro de vampiro adolescente, época de distopia adolescente, época chick lit, época scifi ou fantasia e por aí vai.

No entanto, depois de ler esse livro caiu uma ficha meio óbvia: É um negócio e eles precisam de lucro.

Entendi que as livrarias físicas são uma ferramenta preciosa pois a maioria das pessoas decide o que lerá à partir do que vê em suas prateleiras. Vi que o papel das listas de livros das editoras e seus investimentos tem um papel importante para colocar o livro na mídia atraindo mais leitores.

Talvez o que mais tenha chamado minha atenção é que as editoras, agentes e livrarias buscam tão avidamente por livros de sucesso quanto nós buscamos por elas. Tem gente virando noite lendo livros em busca de novos sucessos grandes ou pequenos.

Claro que o primeiro passo é você escrever seu livro, claro que há centenas de livros na mesa de cada agente ou editor e você tem que achar um jeito de convencê-los de que seu livro vale a leitura e claro que é um negócio, então nem sempre o valor literário da obra é o mais importante, mas nessa história somos lembrados do óbvio: que as pessoas que trabalham com livros adoram livros e literatura. Elas terão prazer redobrado com seu trabalho se acharem uma obra boa tanto do ponto de vista artístico quanto no potencial de vendas.

Enfim, recomendo fortemente a leitura.