Aten??o!!! O conto mais abaixo tem spoilers para quem n?o leu os livros e do pr?ximo filme!

Sobre o projeto

Esse ? o d?cimo segundo conto do projeto #UmS?badoUmConto (Post explicando o projeto)

Durante a semana as pessoas votam em estilo, g?nero, p?blico e ?poca. O autor (eu) s? pode saber o resultado ?s 8h de s?bado e tem at? meio dia para terminar o conto.

Cada conto ? escrito com um processo criativo diferente (veja no final).

O que voc? v? a seguir ? o conto com a m?nima revis?o. Voc? pode ler? sem revis?o no Google Docs.

Antes de ler vote no pr?ximo por favor ;)


http://bit.ly/1w5JcZT

O Conto

Nuvens negras se aproximam vindo do horizonte como vagas de um tsunami advertindo para o temporal que atingir? em breve o distrito 12.

J? se passaram 35 anos desde que ele foi reconstru?do e os olhos aquilinos de Priston n?o conseguiriam identificar um sinal da destrui??o dos eventos protagonizados por sua m?e, Katniss Everdeen.

Do seu ponto de observa??o privilegiado, no topo de uma das ?rvores mais altas, ele observa analisando os sinais da floresta. Os sons dos animais, a forma como as folhas cantam ao vento… Tem algo errado. H? semanas ele sente que h? algo errado.

Priston j? n?o ? uma crian?a, j? se foram 16 anos desde que ele tinha 16 anos e na ?poca j? dominava as artes da sua m?e t?o bem quanto ela na mesma idade.

Esse era um segredo deles. Para todos, at? onde eles sabem, Katniss se tornou uma dona de casa exemplar, uma mulher pacata que se satisfaz em ter um lar pac?fico, um marido, Peeta, e seus dois filhos, Priston, o mais velho, e Primrose, dois anos mais nova.

No entanto Katniss sempre soube que a paz era uma utopia distante para Panem. Estruturas de poder marcadas pela dor e pelo medo n?o desaparecem da noite para o dia.

Secretamente ela e Gale sempre alimentaram algum tipo de resit?ncia ao sistema.

Uma ou outra semente de subvers?o e a amea?a de novos levantes manteve os governos subsequentes mais? precavidos.

Os jogos deixaram de ser mortais, mas permaneceu a rivalidade entre os distritos pois, se ela acabasse, a estrutura social e econ?mica de Panem se desfaria: o governo era apenas uma ponta do sistema, ele apenas cumpria o controle necess?rio para alimentar a gan?ncia das corpora??es que controlavam os recursos naturais e humanos de Panem.

“Recurso Humanos”… Priston ri lembrando da paix?o com que sua irm? comenta que, depois de tudo, as pessoas ainda s?o vistas como recursos, como pe?as ou objetos que fazem parte de uma linha de produ??o.

Ele escuta passos 25 metros abaixo. Poucas pessoas s?o capazes de ouvir passos de uma altura dessas, mas poucas pessoas s?o capazes de passos t?o ruidosos: Peeta, seu pai, o procura contrariado. Ele ?nunca aprovou a continua??o dos h?bitos de ca?a de Katniss e menos ainda do envolvimento pol?tico e imaginava que Priston estava pensando justamente nisso.

Peeta se assusta quando seu filho pousa pesadamente atr?s dele saltando de um dos galhos mais baixos da grande ?rvore, mas sorri para ele logo em seguida.

? Nunca sei se ? um de voc?s ou alguma outra coisa! Sei que o distrito tem estado tranquilo h? anos, mas tamb?m sinto que essa tranquilidade ? apenas superficial. Sempre h? algo obscuro correndo sob Panem? Glimmer est? na vila procurando por voc?.

Glimmer Underseen? Assim como seu tio, antigo prefeito do distrito 12,? ela trabalha na prefeitura apesar de ter pouco mais de 25 anos. Ela e Priston se apaixonaram h? anos, mas n?o falam nisso. Parece que a fam?lia Everdeen est? fadada ao receio de relacionamentos s?rios? Mas como se entregar ao amor quando receamos que ele nos ser? subtra?do a qualquer momento? Para muitos era poss?vel, mas eles estavam marcados pela hist?ria.

Normalmente Priston volta para casa correndo, mas seu respeito pelo pai ? grande, Peeta ? um bom homem. Est?vel e confi?vel em sua pureza e dedica??o ? fam?lia. Eles seguem conversando sobre amenidades.

? Sua irm? me preocupa, Priston. Ela ? mais fechada e arredia ainda que sua m?e! V?rios homens adorariam casar com ela ainda hoje passando dos trinta anos e?

? Pssssss!!! Pai!!! ? Priston olha velozmente para os lados e ri?

? Ent?o eu devia arranjar um homem para cuidar de mim, n? pai? Que homem pode cuidar de uma Everdeen, hein? ? mais f?cil n?s cuidarmos deles! ? Ela ri com o mesmo sorriso que Prim teria se fosse viva? H? perdas em uma guerra que jamais podem ser recuperadas? A homenagem ? sua irm? foi uma justi?a que Katniss achou que era uma obriga??o sua, uma compensa??o m?nima ao Universo que perdeu uma das poucas pessoas puras que ela conheceu.

? Voc? estava a? o tempo todo?

? Aham! Algu?m tem que pegar a ca?a que o Priston perde, n??

Priston tinha uma mira t?o boa quanto a dela, mas nesse momento ela estava com uma pequena vantagem na contabilidade da ca?a ainda que eles discordassem se aquela flechada que atravessou a ave matando instantaneamente sem danificar ?rg?os vitais deveria ou n?o contar mais pontos para Priston.

Panem parece viver um per?odo de crescimento. O distrito est? limpo e bem cuidado, ? a Vila dos Vitoriosos que n?o recebe tanta aten??o quanto antes apesar de estar mais povoada agora que todos os concorrentes dos jogos sobrevivem. Todo ano s?o acrescentadas duas casas, mas eles tem que trabalhar para manter suas despesas. Na pr?tica os vencedores alugam suas casas para as poucas fam?lias ricas que come?am a prosperar ainda que, para a maioria, pouco tenha mudado al?m de uma distribui??o mais justa de recursos agora que a Capital n?o disp?e mais de tantas regalias.

Glimmer est? esperando ao lado da fonte que fica no centro da vila. Ela brinca com algumas flores que flutuam sobre a ?gua gelada empurrando-as com os dedos longos e delicados. Seu sorriso ao ver Priston o faz esquecer das nuvens escuras e da intui??o que vem incomodando a ele, sua irm? e sua m?e h? tempos.

A vida continua sendo uma farsa, Peeta levou o equipamento de ca?a para casa sem ser visto e, para todos os efeitos, Priston e Glimmer est?o falando de amenidades enquanto caminham da m?os dadas por um corredor formado por azaleias.

? Gale continua sumido, mas tivemos not?cias que podem nos levar a ele ? A casa mais pr?xima est? bem distante e a vegeta??o abafa as vozes, mas Glimmer fala entre sussurros olhando ao redor como um esquilo antes de abrir uma noz. ? Encontre comigo na casa da floresta amanh? depois da alvorada para conversarmos, ok? Acho que sua m?e vai querer ir?

A alvorada era o melhor momento para reuni?es secretas pois o canto dos p?ssaros abafava qualquer conversa, mas assim mesmo eles falavam baixo.

No dia seguinte Glimmer j? estava l? quando Priston, Prim e Katniss chegaram. Antes de entrar na casa eles verificaram o per?metro como s? a sua fam?lia sabe fazer depois de mais de 30 anos de experi?ncia.

Katniss n?o precisa falar, ela nunca foi de falar, mas seu olhar tornava palavras desnecess?rias. Glimmer sentiu um arrepio percorrer seu corpo imaginando as coisas por que aquela senhora de uns 60 anos havia passado durante e depois dos jogos… Uma vez, quando ela era adolescente e se aventurava explorando a Vila dos Vitoriosos, ela flagrou Katniss, ent?o com uns 45 anos, saltando pela janela para dentro de casa. Ela ficou escondida nas sombras entre o medo e admira??o certa de que n?o tinha sido vista, mas ent?o ela viu Katniss se virando, olhando para ela pelo rabo do olho e dando uma piscada e um sorriso enigm?tico para a menina aventureira de? 12 anos. Uma fra??o de segundo depois uma flecha se cravou na ?rvore ao seu lado levando alguns fios de cabelo. Ela entendeu o aviso: se for bisbilhotar esteja pronta para as consequ?ncias.

O que o olhar de Katniss dizia era “Estou pronta para o pior e para vingar a morte de Gale, custe o que custar”.

? O corpo de um homem foi achado ontem na floresta pr?xima ao distrito 2. O ?nico ferimento era no tornozelo causado por essa armadilha que parece aquelas de metal que prendem os p?s de animais, mas ? de madeira.

Glimmer entrega para Katniss que observa o artefato, cheira os espinhos e confirma com a cabe?a.

? ? trabalho do Gale, um trabalho apressado, mas pouca gente al?m dele sabe usar esse veneno.

? Tivemos sorte disso ser mandado para n?s t?o r?pido ? Glimmer parece se preocupar que ainda assim tenha demorado demais ? O homem devia estar morto h? quase uma semana? Foi o cheiro que denunciou sua localiza??o. Temos uma equipe de buscas…

Prim a interrompe.

? Se ? do Gale ningu?m vai ach?-lo. S? algu?m em quem ele confia conseguir? se aproximar, mas o fato de n?o o terem encontrado certamente significa que ele est? vivo!

At? ent?o os olhos de Katniss estavam arregalados e as sobrancelhas fechadas em uma express?o de crescente terror.

Em todos esses anos ela n?o aprendeu a aceitar a perda daqueles por quem ela se considera respons?vel e o medo muitas vezes obscurece nosso racioc?nio. Ao ouvir a filha sua express?o se alivia, mas ao falar ela soa cansada e desconsolada.

? N?o posso ir t?o longe? Meu rosto ainda ? muito conhecido? Se for posso colocar voc?s em risco, mas como posso n?o ir? Em quem mais ele confiaria?

? Antes disso, quem era esse homem? O que sabemos dele, Glimmer? ? Priston se aproxima da janela para olhar ao redor e escutar. A algaravia dos p?ssaros continua sendo o caos caracter?stico. Se algu?m se aventurar pela floresta o ru?do deixa de ser uniforme denunciando a presen?a de algu?m e at? a dire??o de onde est?o vindo.

? Ele era do sindicato dos mineiros, aqui do 12 mesmo? Por isso n?s, na prefeitura, fomos contactados. ? como eu disse, muita sorte. Ele era secret?rio do presidente do sindicato, ali?s ele tem estado no sindicado nos ?ltimos dez anos.

? O que algu?m de qualquer sindicato poderia estar fazendo no distrito 2? ? Prim fala em tom de pergunta, mas todos sabem a resposta, inclusive ela.

O distrito 2 continua sendo um foco de produ??o de armas e de for?as de “seguran?a” que podem ser transformadas facilmente em for?as de repress?o como antes.

Diversas medidas de controle foram criadas ao longo das d?cadas para restringir as liberdades do distrito 2 evitando que ele se alie a um ou outro para desfavorecer o equil?brio de for?as. Cada distrito passou a desenvolver sua pr?pria divis?o de pol?cia, mas o que realmente controla o distrito b?lico ? sua depend?ncia de mat?ria prima e alimentos produzidos em outros distritos.

? Glimmer, atenta aos jogos pol?ticos, j? que vem construindo sua carreira na prefeitura esperando algum dia ser prefeita e acertar onde seu tio errou, que coloca em palavras o que todos est?o temendo.

? Se uma pessoa ligada a um sindicato h? tanto tempo foi procur?-los temos que assumir que outros est?o fazendo o mesmo? Por que motivo? S?o os sindicatos que os est?o procurando ou algu?m est? orquestrando esses encontros? Mais importante que encontrar o Gale ? descobrir?

Ela engole as pr?ximas palavras ao ver o fogo nos olhos da Katniss. Os anos e a necessidade de manter segredos a tornaram mais? Discreta. Em outros tempos ela teria explodido e sa?do imediatamente para ir atr?s do Gale sozinha, mas agora ela se levantou, caminhou lentamente at? Glimmer, segurou as m?os dela?

? Nunca podemos deixar ningu?m para tr?s! As pessoas que perdemos jamais voltam?

Em seu olhar ainda queimava um fogo, mas havia tamb?m compreens?o e carinho. Talvez ela visse em Glimmer um pouco do que havia nela desde aquele encontro diante da sua janela? Sim, ela tinha visto bem quem era a enxerida.

? Desculpe, Katniss? A senho? Voc? tem raz?o. ? que eu n?o posso, ou melhor, n?o tenho como procurar por Gale. O que eu posso fazer ? tentar descobrir o que est? acontecendo entre os sindicatos.

? Isso ser? perigoso, Glimm? ? Priston se afasta da janela satisfeito com a seguran?a deles naquele momento ? E n?o poderei estar aqui para te proteger. Me parece que sou eu que tenho que ir encontrar com Gale. Sou pouco conhecido e meu trabalho como administrador de recursos de um setor da mina me d? desculpas para fazer viagens de neg?cios. Prim, m?e, sei que voc?s querem ir e provavelmente seriam mais eficientes que eu, mas tenho o melhor ?libi e se Gale ainda n?o apareceu ? porque deve estar com problemas para se locomover.

? Ele tem raz?o m?e? Estou no meio de um projeto de extens?o dos t?neis e meus c?lculos s?o essenciais para definir as escava??es. Seria muito dif?cil justificar meu afastamento agora, mas tem um transporte abandonado no dep?sito da mina que venho consertando h? algum tempo. Ele est? quase pronto. Podemos us?-lo para resgatar Priston e Gale quando se encontrarem. Tenho um sinalizador eletr?nico para te dar, Priston. Quando voc? apertar o bot?o vermelho ele nos levar? at? voc?. Preciso de tr?s dias para terminar os consertos do transporte.

Fica combinado que Priston ir? para o distrito 4 com a desculpa de negociar novos uniformes especiais para os t?neis que est?o sendo cavados. Prim far? o relat?rio sobre as possibilidades de encontrar bols?es de ar quente n?o explosivo que, no entanto, poderiam causar queimaduras s?rias nos mineiros.

No final da tarde do dia seguinte Priston j? est? embarcando no trem para o distrito quatro. Glimmer o leva at? a esta??o.

O ch?o est? enlameado da chuva intensa do dia anterior que, felizmente, foi breve seguindo adiante empurrada pelo vento para o pr?ximo distrito. Talvez Priston ainda passe por ela de trem.

Glimm olha para a luminosidade rubra do por do sol refletida no rosto determinado de Priston. Ela ajeita o cabelo dele que cai sobre os olhos, mas logo recolhe a m?o timidamente, eles n?o podem se dar ao luxo de se entregar a romantismos? Ele pode n?o voltar.

Antes que ela abaixe a m?o enfiando-a no bolso, Priston a segura entre as suas.

? Eu vou voltar logo, Glimm. Cuide da minha m?e para mim, certo?

? Hahahaha!!! Da sua m?e, amor? ? ela percebe que disse “amor” e tenta seguir antes que ele perceba ? ? mais facil ela carregar a fam?lia toda nas costas e nos esconder em uma caverna que s? ela conhece! Eu cuido dela sim, t??

Um sil?ncio se instala entre os dois, a brisa fresca e ?mida d? a desculpa perfeita para olhos que amea?am verter umas l?grimas.

? Hei, mo?o? Me d? um belo beijo de at? logo aqui na bochecha, toma!

Ela estica o pesco?o oferecendo uma bochecha rosada e fofa. Os dois tremem quando os l?bios dele encontram a pela dela. Se lembram de outras coisas al?m da beleza que enxergam um no outro, lembram das longas conversas nos ?ltimos anos, na for?a que eles encontram nos olhos um do outro e no respeito que os une em tempos ainda t?o inseguros. Ser? que um dia Panem ver? a paz? Quando parece que as coisas est?o prestes a melhorar algo novo e terr?vel aparece.

Depois que o trem parte os dois ficam olhando na dire??o um do outro ainda que j? n?o haja mais nada para ver. A luz vai desaparecendo aos poucos deixando Glimm sozinha na escurid?o solit?ria da esta??o. Um medo repentino toma conta dela e, por via das d?vidas, segue rapidamente para casa evitando os lugares iluminados para n?o ser vista.

No distrito quatro Priston ? recebido por um representante do sindicato local. Isso n?o ? de todo incomum, mas diante das ?ltimas novidades ele se mant?m alerta. Sua fam?lia se sente bem no espa?o selvagem onde tudo ? muito claro: quem s?o as presas, quem s?o os ca?adores, o que ? comest?vel e o que n?o ?.

No mundo humano tudo ? nebuloso e impreciso.

Ele precisa elaborar uma desculpa para se ausentar e explorar a floresta ao redor. Somente agora ele percebe que achar Gale ser? como encontrar uma agulha no palheiro. Principalmente sabendo que ele certamente n?o quer ser encontrado. Bem… Pelo menos Gale n?o ? um mestre em camuflagem como seu pai?

A ?nica forma de achar Gale ? ser encontrado por ele. O que sua m?e faria em seu lugar? Como atrair aten??o de Gale sem que outros desconfiem da mensagem?

Claro! A m?sica que sua m?e cantava para eles dormirem! Os Mockingjays s?o cada vez mais comuns nas matas e ningu?m fora da fam?lia conhece a m?sica secreta que Katniss criou para seus filhos crescerem preparados para os dias de grandes sacrif?cios, para saberem valorizar aqueles por quem somos respons?veis e enxergar al?m das apar?ncias. Gale certamente reconheceria a m?sica.

? Onde posso arranjar uma hospedagem bem silenciosa? Estou acostumado ao sil?ncio das minas vazias que tenho que inspecionar e minha casa ? afastada de tudo. Durmo em um sil?ncio que d?i os ouvidos se voc? n?o tem o costume e tenho dificuldade em dormir com os sons da cidade.

? Bem, temos a f?brica velha que passou a ser usada como alojamento. Ela fica nos limites do distrito.

Priston procura descobrir qualquer sinal de ironia, mas ele tomou o cuidado de fazer a pergunta para o gar?om onde almo?ou e n?o para o contato que o recebeu mais cedo

? noite n?o foi dif?cil sair sem ser visto. Ele teria menos de 12 horas para encontrar um ponto onde Gale poderia estar escondido.

Apesar de ter mais de sessenta anos Gale era um homem forte e j? devia ter se afastado muito do distrito dois em uma semana, mas seria o bastante para ele passar do distrito tr?s? Infelizmente Pristom n?o teve uma desculpa que o levasse al?m do quatro ent?o a esperan?a ? que Gale estivesse perto o bastante para perceber seu sinal e ir at? ele.

Priston correu o mais r?pido que pode por quase 4h. O bastante para vencer mais de 10 km mesmo entre a vegeta??o. Ele encontra uma clareira e come?a a montar um sinal no ch?o com gravetos enquanto entoa a m?sica com a voz que herdou do seu av?. Nas primeiras notas os p?ssaros que dormiam em seus ninhos se agitaram respondendo com sua cacofonia de cantos, mas logo se calaram novamente para ouv?-lo. Quando ele parava eles repetiam sua melodia. A cada vez que os chilreios iam se dissipando ele voltava a cantar e assim fez por mais de meia hora para se certificar que as aves aprenderiam seu canto e o repetiriam por um dia pelo menos. Por ?ltimo ele arriscou disparando uma flecha luminosa exatamente para cima, afinal ele n?o quer acertar ningu?m inadvertidamente. Ele deixa a flecha na clareira sabendo que Gale, se estiver vivo, deve ter visto o sinal h? dezenas de kms em uma noite escura e l?mpida como aquela. Foi muita sorte a chuva de dias antes ter limpado o c?u.

Priston n?o poderia esperar muito, mas tinha que observar o estonteante v?u de estrelas sobre sua cabe?a, ali, mais longe do que de costume das cidades, via-se detalhes da Via L?ctea e estrelas que raramente qualquer um enxergava.

O que ele estava fazendo? Se Gale visse o sinal e tivesse ouvido o canto dos mockingjays talvez ele respondesse!

Com alguma pressa Priston escala a ?rvore mais alta pr?xima a ele e passa a vasculhar o horizonte. Gale n?o usaria um sinalizador luminoso comum, mesmo que tivesse. Ele usaria algum sinal que somente outro ca?ador fosse capaz de reconhecer?

? ent?o que ele escuta um farfalhar distante se aproximando. Primeiro parece o som de folhas agitadas pelo vento, mas ent?o eles passam por baixo dele ligeiros: revoadas de t?midas andorinhas de uma esp?cie que raramente voa acima das copas das ?rvores pois s?o presas para aves de rapina. Somente algu?m como Gale poderia espantar somente a esp?cie certa que mandaria um sinal sem revelar sua presen?a.

O tempo ? curto, o transporte n?o deve estar pronto, sua irm? deve precisar ainda de mais um dia, e Gale pode n?o estar em condi??es de correr 4h at? o distrito quatro, mas Priston n?o tem alternativa, ele precisa seguir na dire??o de onde vieram os p?ssaros e achar Gale. Mesmo que tenha que berrar por ele para isso correndo o risco de ser outra pessoa ou outra coisa.

Felizmente ele corre por menos de uma hora at? que escuta uma voz atr?s dele: “Pare e vire lentamente” ? a voz de Gale!

? Sou eu, Priston! Vim te resgatar! Minha m?e queria vir, mas consegui convenc?-la.

? Fez muito bem, rapaz ? Gale nunca deixou de cham?-lo de rapaz, mesmo agora que, apesar de ter apenas 32 anos, ele j? tem v?rios cabelos brancos. ? Ela sempre se coloca em risco quando n?o ? necess?rio.

? Como voc? est? Gale? Voc? conseguiu andar r?pido do dois at? aqui! Achamos que voc? devia estar ferido e por isso n?o tinha voltado para o distrito.

? Estou ?timo! S? n?o podemos confiar em nenhum distrito nesse momento? Tenho um contato de confian?a no cinco? Estava indo para l?, mas ia demorar um pouco como voc? deve ter notado.

Os dois riem de um jeito discreto, mas com vozes poderosas que assustam alguns gecos escondidos entre as folhas ca?das no ch?o.

? Temos um plano, Gale. Minha irm? est? consertando um transporte e? pronto? agora que apertei esse bot?o ela sabe que te encontrei. O problema ? que ela deve demorar mais um dia para terminar os consertos. Tenho que voltar para o distrito antes de amanhecer ou podem desconfiar. Fique com o comunicador, elas v?o te achar? Digo elas porque tenho certeza que minha m?e tamb?m vir?.

Priston j? deve estar chegando no distrito quatro horas depois quando Gale escuta o ru?do eletromagn?tico de um transporte muito mal consertado:? eles n?o deviam fazer qualquer som. De p? na rampa que desce do aparelho ele v? a silhueta de Katniss com arco em punho e flecha preparada para disparar. Ele entra no raio de vis?o lentamente com as m?os para cima.

? Esse deve ser o meu resgate ultra-secreto, certo? Talvez no distrito treze n?o estejam escutando!

Tr?s flechas atingem o ch?o praticamente ao mesmo tempo e Katniss ri poucos metros acima dele.

No caminho de volta para o distrito 12 Gale os coloca a par do que descobriu.

Depois que Snow e Coin morreram ou foram mortos (Coin pelo tiro certeiro de Katniss) as estruturas de poder se desestabilizaram. Os dois controlavam em suas ?reas grande parte dos neg?cios formando governos intimamente ligados ? cadeia comercial.

Quando eles se foram os grupos tinham grande desconfian?a m?tua e n?o podiam agir abertamente. Al?m disso foram criados sindicatos logo ap?s a queda da Capital e a popula??o tinha sede de liberdade. Foram necess?rias tr?s d?cadas para que eles construissem la?os comerciais, confian?a e se infiltrassem entre os sindicatos. Agora tramavam um golpe desviando parte dos recursos de cada distrito para esconderijos em minas abandonadas no 12. Eles j? contavam com c?mplices em 8 dos 12 distritos.

Enquanto Gale contava Prim se dividia entre prestar aten??o e manter a geringon?a apenas parcialmente consertada no ar. Glimmer pilotava e Katniss olhava para Gale balan?ando negativamente a cabe?a? Como tanto pode ter acontecido sem que eles percebessem? Isso nunca teria fim? Ela n?o precisava falar nada.

? Mas eu tenho boas not?cias!! Eu estava sendo perseguido porque consegui um dossi? com todos os contatos deles, ou quase todos! S? temos que chegar ao distrito 5 de onde poderemos transmitir as informa??es pela Rede!

Meus Coment?rios

? um final um pouco repentino, mas um conto de 10 p?ginas n?o tem espa?o para construir o cl?max ao longo de 5 p?ginas.

Como foi uma fanfic o processo criativo descrito abaixo foi muito r?pido e n?o senti necessidade de explicar muitas coisas no meio do conto, nem do Universo em quest?o, nem das minhas decis?es criativas.

Apesar de ter mudado umas duas coisas nos personagens, principalmente no Gale e da Katniss talvez outros leitores nem cheguem a notar porque eles podem n?o ter visto a personalidade deles ao final da trilogia do mesmo jeito que eu vi (e n?o falo para n?o fazer spoiler).

Poucas vezes escrevi fanfics porque acho um estilo pregui?oso, mas dessa vez entendi porque tem gente que adora escrev?-las. ? porque nos apropriamos dos personagens e os “melhoramos” de acordo com o nosso gosto. Al?m da sensa??o de poder (que pessoalmente n?o me animou muito) tem uma grande satisfa??o de ver personagens que te cativaram vivendo coisas que voc? acha mais interessantes. Ficamos felizes pelos personagens.

Revisando notei um erro grande! Os jogos no conto se tornaram um tipo de Jogos Ol?mpicos, mas n?o foi assim que eles ficaram ao final da trilogia. Considero isso um erro no meu conto, ok? Se eu quisesse corrigir isso teria que ter dado mais destaque explicando como aconteceu.

Tamb?m enquanto revisava percebi tamb?m um spoiler gigantesco! Vou avisar l? no come?o que o conto tem spoiler…

E finalmente… S? ao fazer o rangout percebi que a vota??o foi para realista no presente!! Ok, realista eu at? posso tentar me desculpar dizendo que ? realista dentro do Universo de Jogos Vorazes, mas fiz no futuro!!

Errei rude, gente! Foi mal! Vou tentar me redimir no futuro!

O processo criativo

Isso foi escrito antes do conto para quem estava assistindo ao vivo.

Me comprometi a usar uma estrat?gia em cada conto enquanto desse, mas s? faltam tr?s:

  1. Fanfic: criar em um universo que j? exista
  2. Criar uma hist?ria em que eu gostaria de estar, ou seja, eu mesmo sou um dos persoangens (? meio pregui?osa, n??)
  3. Retalho de outros autores / hist?rias. ? pregui?osa tamb?m e fica com cara de pl?gio apesar de ser comum (as hist?rias mitol?gicas por exemplo)

S?bado vamos ver que estrat?gia vou usar. Vai depender do resultado da vota??o.

Bom dia! Cinco minutos atrasado ;) Me distra?! Vamos ver o resultado da vota??o?

Deu adulto, presente, realista e empatou romance e suspense? Ent?o que tal um suspense com romance?

Isso ? perfeito para usar a primeira estrat?gia da lista acima: fanfic, n??

Foi ficando para ?ltima porque acho que ? um jeito pregui?oso de escrever j? que est? quase tudo pronto para voc?, mas ? um jeito? E tem muita gente que adora porque d? vida a personagens que, de outra forma, ficariam presos nas hist?rias em que foram apresentados.

Tem tamb?m aquele lance todo de transm?dia storytelling, nave m?e, cultura do remix?

Temos quatro pessoas acompanhando! Parab?ns aos madrugadores! :-)

A primeira decis?o ? que universo escolher para a fanfic. O fato de ser adulto n?o exclui universos jovem-adulto e nem mesmo infantis pois podemos localizar no futuro. Tem at? a revista M?nica Jovem que ? com a turminha j? adolescente.

Pensei primeiro em Jogos Vorazes porque ? uma saga bem conhecida e tem bastante espa?o para suspense, romance e para uma tem?tica mais adulta? E posso “corrigir” o final que n?o me agradou ao pegar a Katniss digamos? Com uns 60 anos?

Passou pela cabe?a usar The Bone Season que estou lendo agora, mas ainda estou no come?o ent?o n?o conhe?o bem o universo e a s?rie ? nova, ningu?m conhece ainda.

N?o que isso impe?a de fazer uma fanfic, o macete da fanfic ? usar um univers que voc? conhe?a. O leitor ou leitora n?o precisam conhecer. A ideia ? facilitar o seu processo criativo poupando o esfor?o de pensar nas caracter?sticas dos personagens, da cultura e dos locais.

Cara, vai ser Jogos Vorazes mesmo pq o fim me incomoda, digo, uma coisa no fim me incomoda. Vou tentar n?o fazer spoiler, ok? O fato de ter falado que faria a hist?ria com a Katniss com 60 anos n?o quer dizer que ela sobreviva ? hist?ria, eu posso n?o ter gostado dela morrer, n?? Tamb?m posso n?o ter gostado da Capital vencer no final ent?o nada do que vou escrever pode ser visto como spoiler, combinado? Posso estar mudando totalmente o fim da saga para tornar a minha hist?ria poss?vel.

[8:20] Pausa para pensar um pouco na hist?ria [8:23]

O Hangout