E se o outro fosse a mais sagrada manifesta??o dos nossos Deuses?

O que aconteceria se, em vez de sustentar as religi?es d?ssemos nosso dinheiro para pesquisar novas formas de curar e dar conforto aos outros?

Se escut?ssemos os maiores s?bios (incluindo Jesus) e tiv?ssemos nosso encontro com nossos Deuses em nossos pr?prios cora??es e n?o atrav?s de templos?

O que seria da nossa espiritualidade se nossos Deuses falassem conosco em vez de n?s tentarmos falar por Eles julgando os outros?

Os Deuses est?o mortos… N?s n?o estamos usando nossos esfor?os para cultivar e cuidar do Universo e dos outros…

Os Deuses est?o mortos pois suas vozes n?o est?o voltadas para dentro de n?s. S?o as nossas vozes que berram para fora julgando os outros at? o ponto que ficamos surdos para a empatia que vem Deles (se ? que h? algo divino ? a capacidade de se colocar no lugar do outro por mais diferente que seja de n?s).

Imagine um mundo onde nossos maiores esfor?os depois da pr?pria sobreviv?ncia (ou at? antes, por que n?o?) fosse para oferecer ci?ncia, tecnologia e cultura para os outros.

Mas que seja uma oferta, ao alcance de quem quiser, jamais uma imposi??o, nunca leis impostas que ferem nossa liberdade.

Esse foi o v?deo que me inspirou a escrever isso:

 

Imagem que ilustra o post: Tarcila do Amaral – Social – 1933