Acabo sempre voltando ao tema religi?o… Mesmo tendo escrito exaustivamente sobre isso aqui mesmo em uma s?rie de posts ;-)

Sou humanista, ou seja, n?o me parece importante inserir deuses na equa??o da consci?ncia humana, mas algumas das pessoas que mais respeito s?o especiais justamente pela forma que se relacionam com a sua f? e recentemente vi um convide da @aevangelista para comentarmos a dif?cil comunica??o entre ateus e “teus” no seu post A Sabedoria de Deus ? loucura para os homens (a da ci?ncia tamb?m, a prop?sito):
Aqui est? o meu coment?rio que achei que, pela extens?o, precisava virar post:

? necess?rio ser muito cuidadoso com as pessoas pois n?s humanos (ali?s, toda forma de consci?ncia) merece o mais profundo respeito, mesmo que discordemos diametralmente das express?es dessa consci?ncia.

Vim deixar meu coment?rio aqui porque posso facilmente ser visto como um ativista ateu ou anti-religioso, mas na verdade sou um ativista da consci?ncia livre e sinto que a Evangelista tamb?m ?.

Em todo caso, minha posi??o e as minhas id?ias a respeito de deuses e religi?es devem ser expressas aqui com muito carinho. Espero que todos entendam ao me colocar contra certas id?ias n?o me coloco contra as pessoas.

Bem, at? pouco tempo eu me declarava como tecnicamente ateu pois n?o vejo raz?o para crer que o Universo foi criado por uma divindade, que alguma divindade ou?a nossas ora??es ou cuide de n?s.

Estou parando de me definir assim pois a palavra ateu est? sendo usada para definir quem tem certeza que n?o existem deuses. N?o acho que nosso conhecimento atual nos permita fazer esta declara??o.

O m?ximo que podemos dizer ? que os deuses que eventualmente existam n?o fazem quest?o de se mostrar para a humanidade preferindo que cada um encontre sua pr?pria f?.

A f? do bom ateu ? na humanidade, ? no amadurecimento da nossa consci?ncia no sentido de agirmos de forma moral porque ? l?gico e n?o porque algum deus nos amea?a com o inferno ou nos seduz com a promessa do c?u.

A f? do bom crist?o (fui profundamente crist?o desde os 4 anos quando conheci uma freira especial at? me decepcionar aos 11 ao fazer primeira comunh?o) me parece ser em um Deus pronto a compartilhar com ele a sabedoria que n?o pode obter sozinho (nenhum de n?s, crentes ou descrentes pode).

Algumas das pessoas que mais admiro e considero mais s?bias s?o religiosas como Ghandi, Frei Betto, Dalai Lama, Leonardo Boff e alguns amigos que s?o especiais justamente por sua rela??o com sua religi?o.

Entretanto h? facetas negras nas religi?es.

Talvez a pior de todas, e que mais incomoda os ateus, seja a arrog?ncia de crer que j? sabe qual ? a verdade absoluta, o Deus verdadeiro. E tudo piora quando quem n?o v? a mesma verdade ? demonizado….

Os bons crist?os (cat?licos, protestantes, isl?micos), budistas, taoistas, wicca, esot?ricos n?o s?o assim, s?o pessoas procurando desenvolver cada vez mais suas consci?ncias para tentar ter uma vis?o melhor de Deus.

Os ateus tamb?m… S? que eles n?o creem em um deus m?stico, eles creem na consci?ncia.

Talvez no final n?o seja muito diferente, mas se torna no momento que um grupo usa a l?gica para comprovar o que n?o temos tecnologia para comprovar (a inexist?ncia de deuses) enquanto os outros tentam usar suas experi?ncias subjetivas no sentido contr?rio.

? uma fonte inesgot?vel de conflito.

H? de haver humildade.

De um lado a dos materialistas, de?stas ou ateus que devem entender que na aus?ncia de provas a favor ou contra todos devem ter direito a seus pr?prios postulados.

De outro a dos que creem que devem entender que a f? ? uma experi?ncia pessoal que deve reger a nossa concep??o do mundo, a nossa moral, e n?o a dos outros. Usar a f?, nossos deuses e religi?es para impor a nossa cultura aos outros ? um ato de viol?ncia.

A arrog?ncia (que atinge os dois grupos, ? bom lembrar) ? a raiz dos conflitos que contaminam at? as rela??es entre crist?os e enquanto estivermos engajados em impor a nossa raz?o (ateista ou “teista”) perderemos de vista a raz?o em sua acep??o pura.

Ao nos agarrar na raz?o r?gida e imut?vel assumimos uma postura que n?o ? nem evolutiva, nem criacionista, mas involucionista j? que temos certeza que a vis?o correta de Deus ? aquela de quem viveu h? 5 mil anos…. No m?nimo estamos estagnados. Vale lembrar que esse ? um fen?meno humano afinal h? um certo consenso de que nunca haver? outro Shakespeare. S? na f?sica h? um pouco de desenvolvimento, mas n?o sem resit?ncias selvagens.

Respondendo a Evangelista, eu creio que o evangelismo proativo (incluindo o ateu) ? um caminho contaminado pela arrog?ncia… N?o lembro nenhum grande humano ter dito para impormos nossas cren?as a outros humanos, nem mesmo Cristo.

Ser? que os crist?os do segmento x, divis?o y, categoria k do bairro h s?o superiores aos do bairro q e s? eles entenderam Deus?

Parece-me claro que, se h? um ou mais deuses cada um de n?s, cada cultura humana, v? ou escolhe ver algumas das suas caracter?sticas.

Uns preferem seu ombro amigo onde podem depositar seus sonhos e projetos, outros preferem o bra?o forte para ajud?-los em suas dif?ceis miss?es de vida, poetas preferem tentar entrever seus olhos misteriosos cheios de sabedoria.

Essas escolhas s?o feitas de acordo com as nossas necessidades pessoais e aqueles com necessidades similares se juntar?o a n?s em nossas cren?as ou raz?es. N?o faz sentido impor a todos os humanos a mesma cultura.

A minha opini?o ? que o evangelismo passivo (incluindo o ateu) ? o caminho.

Permitir que nossa vis?o de mundo altere profunda e constantemente a nossa consci?ncia nos transforma em far?is brilhando com as cores e ritmos adequados para atrair nossos irm?os de f? ou de raz?o.

O problema ? quando um grupo quer impor a sua consci?ncia a todos os outros. Por isso defendo que n?o haja interfer?ncia religiosa na pol?tica e no ensino ou que haja interf?rencia completa apresentando-se as raz?es e contra raz?es de cada religi?o.

Fora isso h? v?rios desafios dentro da pr?pria forma de ler e interpretar os livros sagrados afinal ? rid?culo querer impor pela f? que a Terra ? um disco apoiado sobre 4 elefantes que est?o sobre uma tartaruga c?smica conforme est? descrito nas cren?as indus.

Da mesma forma minha av? morreu jurando que os homens tinham uma costela a menos que as mulheres pois ela foi tirada para fazer Eva. N?o adiantava mostrar um esqueleto para ela pois sua f? era maior que sua raz?o (era mais uma pessoa profundamente boa que sempre admirei).

Na minha opini?o os religiosos precisam deixar de ver seus livros sagrados como livros de f?sica, qu?mica, antropologia e hist?ria passando a buscar neles o significado moral, a mensagem que eles trazem para nossa consci?ncia e n?o para a nossa raz?o. Do contr?rio se tornar? cada vez mais dif?cil argumentar com quem se baseia em fatos e ci?ncia.

Afinal de contas qual ? o ponto importante? Quantas costelas temos? Se fomos feitos de barro? Se o Universo existe h? 6.485 anos? Ou a quest?o ? o que vamos dizer para o outro humano que chega at? n?s precisando de uma palavra de conforto ou de motiva??o?

Estou enrolando por quatro par?grafos, mas acho que ? necess?rio dizer… Desapeguem-se da B?blia. Ou pelo menos lembrem-se que Jesus Cristo veio tamb?m para revelar que a palavra de Deus est? escrita no cora??o dos humanos… Por isso ele pode transformar as leis antigas convidando quem n?o tinha qualquer pecado a apedrejar a ad?ltera… E com isso aboliu uma lei b?blica.

Foi Cristo tamb?m que disse que edificaria sua Igreja sobre Pedro, o homem comum e de cora??o puro e sincero. Cristo n?o deixou uma B?blia, n?o precisamos dela para encontrar ou provar a exist?ncia de Deus, Esp?rito ou consci?ncia, isso est? escrito em cada pequeno fragmento do Universo onde encontramos pela f? ou pela raz?o, maravilhas sem fim!