As ?ltimas fronteiras do Universo come?am a se descortinar diante dos nossos olhos, a f?sica qu?ntica e a teoria M (a coisa das cordas) podem apontar para o fim dos mist?rios sobre a cria??o de tudo que vemos.

DEUS EST? MORTO!

Hummmm… Mas tudo que vemos ? tudo que existe?

A nossa consci?ncia, a alma, s?o fen?menos qu?nticos ou vibra??es em cordas c?smicas? Uma leitura cuidadosa destas teorias n?o d? qualquer sinal disso.

Quem est? prestes a morrer n?o ? Deus pois Ele (ou Eles, ou ainda um pronome que deveria ser inventado e que sintetiza n?s e eles) pode ser mais do que um escultor de ?tomos, pode ser um fluxo crescente de consci?ncia.

Agora imagine um livro para adolescentes que, quase sem que notemos, coloca todas essas e muitas outras quest?es diante dos nossos olhos n?o para respond?-las, mas para nos instigar a faz?-lo ainda que tenhamos que trilhar um caminho t?o longo, e encantador, quanto o de Lyra e Will.

? por isso que sou um f? t?o ardoroso da trilogia Fronteiras do Universo, cujo primeiro volume, A B?ssola de Ouro, ir? aos cinemas em dezembro deste ano.