Ontem fui assistir o filme do Curinga (que chamaram de Batman por motivos comerciais, s pode ser) e vou contar o que achei.

Pode ler o resto do post pois no gosto de escrever spoillers e no vou contar nenhum fato do filme me concentrando mais no que o filme tem a dizer.

A grande pergunta que o filme nos faz : O que separa voc do colapso da sua humanidade e da sua entrega ao caos que pensamos dominar nossa civilizao?

uma pergunta muito perigosa que, na minha opinio, no deveria ser feita por qualquer pessoa, independente da sua idade e, certamente, no por jovens de 12 que acabaram de ler um incuo Harry Potter. Alis, no sei se mesmo os jovens notveis que leram Proust ou Philip Pullman esto necessariamente prontos para este tipo de choque com a realidade…

… Realidade? No sei se loucuras como a do Curinga acontecem de verdade, mas esta outra histria.

Hoje, quase 24h depois de ver o filme, percebi que h um lado negativo que devemos levar em considerao.

Hollywood uma mquina de fazer grana. Quando "ela" v um filme fazer sucesso sai copiando, mas raramente entende realmente onde estava o segredo daquele filme preferindo imitar apenas sua forma. O exemplo perfeito para isso Senhor dos Anis que foi seguido por uma infinidade de "filmes de fantasia".

Curinga, digo Batman, se destaca pelo realismo da sua violncia psicolgica (no tem sangue) e receio que comecem a fazer uma srie de filmes imitando. Ser que amanh veremos jovens border line arrancando os prprios dedos em desespero diante de uma vida sem sentido nos filmes para maiores de 12 anos?

Tirando esta ressalva Batman um dos melhores filmes dos ltimos tempos e, sem sombra de dvida, o melhor inspirado em personagens de quadrinhos.

O ambiente deste filme o de Cavaleiro das Trevas de Frank Miller e Piada Mortal exceto pelo fato do Curinga ir alm de todos os Curingas que j vi nos quadrinhos se aproximando mais de Hannibal e outros "top" psicopatas do cinema. Isso uma conquista para os fs mais antigos de Batman que finalmente receberam o filme que, j adultos, gostaramos de ver.

Outro ponto alto do filme, reforado pelo excelente elenco, a profundidade dos personagens e complexidade das suas personalidades e relacionamentos. No chega a ser um filme a colocar ao lado de Dogville e similares, mas no fica muito longe.

De infantil o filme s tem uma certa bondade essencial do genero humano, mas ela era inevitvel diante de um demnio to pleno quanto o Curinga.

A propsito, no posso deixar de observar que movimentos fundamentalistas se mobilizam (com sucesso) para derrubar a bilheteria de filmes que incitam ao livre-arbtrio como A Bssola de Ouro, mas se calam diante de um outro filme que apresenta um demnio purificado de qualquer sinal de humanidade e nos pergunta o quo distantes ou prximos estamos de nos tornar como ele?

A pergunta no entanto necessria, alis, ela questo de vida ou morte para a nossa civilizao. No falo do fim da civilizao, isso no vai acontecer, mas quanto caos ainda produziremos antes de nos dirigirmos para a celebrao da vida, da conscncia, da arte, cultura e esprito?

Sim, com nossa sede por vingana a cada crime hediondo, escndalo de corrupo e insatisfao dos nossos pueris desejos consumistas estamos mais perto do Curinga do que do mocinho, mais perto do caos do que da ordem.

Ao ter sede de justia esquecemos do desejo e necessidade de paz e nos entregaramos facilmente s loucuras do Curinga e sua viso distorcida da alma humana. Tudo isso est l no filme, s no direi onde pois, como disse, no gosto de fazer spoillers.

Batman, ou Curinga como passarei a chamar para sempre este filme, uma obra vital para abrir nossos olhos apesar de nos revelar um mundo perigoso.

Ao contrrio de alguns movimentos fundamentalistas creio que o caminho do amadurecimento no ignorar o questionamento, deixar de ver o trem que vem a caminho, mas encar-lo fixamente para conhecer suas arestas e pontas afiadas e saber como evit-las ou transform-las em algo que nos ajude a ser melhores hoje do que fomos ontem.