Lançado em 1964, Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb, é mais uma das obras primas de Stanley Kubrick.

Se Kubrick tivesse sido um blogueiro ele teria escrito apenas 12 posts que teriam mudado o mundo e mais nenhum. Ele jamais seria um tuiteiro :-)

Confesso que Dr. Fantástico era uma das imperdoáveis lacunas na minha educação cinematográfica, mas é bom apreciar uma obra 45 anos depois do seu tempo.

Em sua época o filme foi uma das poucas críticas diretas à hipocrisia e irresponsabilidade predominantes, principalmente  quando ele nos mostra o Dr. Strangelove, um ex-cientista nazista tão ética e moralmente questionável quanto qualquer outro monstro nazista, como consultor de armamentos do presidente dos EUA, afinal de contas porque os nazistas eram ruins mesmo?

Ainda hoje nos esquecemos que nossos cientistas “do bem” tem sido capazes de fazer experiências e criar armamentos tão cruéis quanto os dos nazistas.

Dr. Fantástico continua sendo um ótimo filme para nos ajudar a refletir sobre o nosso tempo: será que estamos administrando nossa civilização de uma forma muito diferente da caricatura de Kubrick?

Fora isso há o prazer de ver algumas das mais brilhantes atuações de Peter Sellers que faz três papeis: Presidente dos EUA, Dr. Fantástico e o oficial que tenta impedir o desastre a todo custo.