• Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Pinterest
  • Gmail
  • Tumblr

Hoje descobri que muita gente nunca ouviu falar do suposto sucesso do ano passado. Ontem escrevi sobre ele sob uma ótica compatível lá com o Meme de Carbono.

Como teve alguma coisa que eu achei que não valia a pena comentar no Meme de Carbono decidi escrever um post sobre ele aqui também.

Pode ler a seguir sem medo de ter a graça de assistir o filme estragada. Eu quase nunca entrego algo importante dos filmes que comento. E se o faço é sem querer.

Os extras tem duas informações que seriam úteis antes de assisti-lo:

  • J.J. Abrams, depois de visitar o Japão, quis que os EUA tivessem um monstro nacional como o Godzilla também.
  • Cloverfield é um monstro bebê

Eu não diria que o filme é bom. Tem aquele jeito Lost de J.J. Abrams e suas caixas mágicas eternamente fechadas (procure a palestra dele no ted.com), mas o foco narrativo nos coadjuvantes (que comento no outro blog) e essa humanização do monstro aliados a uma profundidade psicológica um pouco maior do que o padrão em filmes desse estilo fazem a sessão valer a pena. Desde que você goste do estilo, claro!