Me perguntaram isso num papo no Facebook. No contesto da conversa o sentido n?o era de desenvolvimento humano, mas sim de continuarmos a perseguir o desenvolvimento cient?fico e tecnol?gico exponencial que nos trouxe at? o ponto em que estamos de esgotamento dos recursos do planeta e de interfer?ncia na evolu??o clim?tica da Terra.

Muitas pessoas boas tem optado por uma vida simples, que deixe a menor pegada de carbono poss?vel na esperan?a de permitir ao planeta que ele se regenere e acho que essas pessoas est?o entre os melhores humanos desse s?culo ainda que eu n?o seja um deles (ou outro tipo de “melhor humano desse s?culo” hehehehe).

A quest?o ? que, talvez, e at? provavelmente, todos teremos que adotar vidas mais simples, que n?o sejamos consumistas de ?tomos e sim de informa??es (cient?ficas, culturais, art?sticas) j? que provavelmente a sede pelo estimulo mental ou intelectual ? parte da nossa natureza como nos provoca muito bem Gaarder em Maya. No entanto isso n?o acontecer? enquanto n?o formos obrigados pelas circunst?ncias e tamb?m, at? onde podemos perceber, n?o seria o suficiente.

Mesmo que todos os 7 bilh?es de pessoas que vivem hoje abrissem m?o do que tem ou do que podem ter (temos que lembrar que mais da metade da humanidade vive com uma pegada de carbono at? abaixo da necess?ria) ainda assim a Terra seguiria com as transforma??es em curso e poder?amos nos ver no quadro que encontramos no come?o de Interstellar.

Bem, acho que isso basta para introduzir a resposta que dei no Facebook e achei que valia a pena copiar para um lugar onde n?o se perca:

A gente precisa separar pelo menos duas abordagens para o desenvolvimento cient?fico e tecnol?gico pelo aspecto ecol?gico.

Tem uma vertente muito pequena (mais ou menos os tais 3%) que querem continuar no caminho atual de usinas e motores de combust?vel f?ssil, produtos derivados.

A outra vertente (os 97%) alertam para o limite de 1/5 das nossas reservas f?sseis: se usarmos mais que isso podemos chegar a um ponto sem retorno.

As solu??es desse grupo envolvem o desenvolvimento de reatores de fus?o e outras formas de energia limpa e renov?vel como parte da solu??o al?m de tecnologias de recaptura do carbono, biotecnologia (tanto para nos alimentar quanto para despoluir e capturar carbono) supercondutores (para otimizar transporte, comunica??o e transmiss?o de energia).

Ningu?m sugere retornarmos a uma forma de vida simples e que n?o interfira com o meio ambiente principalmente porque:

  1. J? estamos num ponto que n?o basta n?o interferir, temos que desenvolver tecnologias para recuperar
  2. Como poder?amos convencer 7 bilh?es de pessoas a abrir m?o das possibilidades modernas? E n?o falamos s? de conforme e sim da Internet que nos permite nos mobilizarmos cada vez melhor, tecnologias m?dicas que salvam vidas etc

Com ou sem a nossa interfer?ncia a Terra um dia deixar? de ser habit?vel pelas formas de vida atuais. Estamos acostumados a uma vis?o um tanto arrogante de que a Terra foi feita para n?s, no entanto isso simplesmente n?o ? verdade. Se gostamos da forma de vida que existem hoje temos que descobrir como impedir que a Terra mude ou como podemos deix?-la no futuro.

Para tudo isso temos que desenvolver nossos conhecimentos cient?ficos e tecnol?gicos. Por isso provavelmente quase 100% dos cientistas ser?o defensores do desenvolvimento. Mas espero que quase ningu?m seja contr?rio a que tenhamos uma vida simples voluntariamente.

Fonte da imagem: desconhe?o, se algu?m souber, por favor, me avise.