– Hã?

– Hipopotamonstrosequispedaliofobia… Medo de palavras muito grandes, tá aqui no livro, é uma das 10 maiores palavras da nossa língua… Engraçado, né?

– an-ti-cons-ti-tu-cio-na-li-ssi-ma-mente… É maior! Eu pensei que ela fosse a maior!

– Não, essa é a oitava…

– Nossa… O hipopótamo é a primeira, então?

– Não… Sexta! Hehehe!

– Que absurdo! Qual é a primeira?

– Pneumoultramicro… Não consigo ler tudo isso! Toma o livro aqui!

– …noconiótico! Vixe!

Canecas de café fumegante descansam sobre a pequena mesa redonda contrastando com a fina película de chuva que bruxuleia entre as luzes dos postes acesos. Os dois amigos esperam o tempo passar enquanto conversam e folheiam a pequena pilha de livros cuidadosamente colocada longe do café e dos biscoitos de amêndoa.

A noite já virou madrugada, mas eles não tem pressa, belas moças ainda entram e saem da bucólica casa de chás. Umas fazendo uma última escala antes de voltar para casa, outras ainda se aquecendo antes de mergulhar nas luzes e no som abafado de uma boate.

Em silêncio os dois observam duas mocinhas jovens lá pelos 27 anos conversando animadamente deixando-os inebriados por muito tempo ainda com os traços dos seus perfumes.

Quais serão os 10 momentos mais felizes na vida de uma pessoa? Os dez mais tranquilos, os mais meditativos, os extasiantes? Quem sabe?