Uma amiga imprudente não só usa o Outlook como tem um daqueles servidores de email antigos que a obrigam a apagar as mensagens de lá. Conclusão: deu virus na máquina e lá se foram (mais uma vez) todas as informações dela.

Uso o Gmail desde 2004 e essa triste história me deu a ideia de cavucar os primeiros emails que escrevi por lá e achei essa pérola de futurologia (até com alguns acertos) em um e-zine que eu escrevia na época: 24/11/2004:

Futurologia
Olha a missão que me deram! Fazer um exercício de futurologia imaginando onde a tecnologia nos levará! Ia falar dos recuros do Yahoo (tem até controle financeiro gratuito) mas vou me arriscar por esta vereda, as artes divinatórias!

Só tem uma coisa! Não dá para explicar os porquês, então vou só listar em quanto tempo acho que cada coisa vai acontecer e a coisa, certo?

1 ano: Pouco muda, a MS continua segurando as pontas e nem mesmo o seu novo sistema operacional terá saído. No entanto haverá novos aplicativos on-line para marcar consultas médicas, fazer acompanhamento de exercícios on-line e alguns serviços como o Yahoo começarão a oferecer agendas on-line capazes de conversar com as agendas de médicos, colégios e agências de viagem.
Nova onda de aplicativos de código aberto. Nova onda de catalogação do genoma. Nada muda na telefonia celular. Novo estudo sobre dieta essencial (como os humanos devem comer para não se transformarem em hipopótamos).
Computadores de 10Ghz.
Ter o próprio domínio (como roney.com.br) começará a se tornar comum.

5 anos: Novos PDAs reacendem a febre de computadores. Morrem os PDAs atuais e começam a surgir os com tela flexível. Primeiros livros de papel digital. Pílulas inteligentes para curar porre. Interface gráfica holográfica começa a se popularizar. Computadores caseiros sem monitor e colocados sob escadas ou embutidos na parede serão capazes de interligar os diversos eletrodomésticos (usarão um sistema tipo Linux).
A Internet torna possível manter os nossos espaços de trabalho on-line em nossos próprios domínios. É como se você pudesse chegar a qualquer computador conectado na rede e abrir o seu desktop caseiro.
Computadores pessoais de 100 Ghz e até quatro processadores.

10 anos: Comunicadores pessoais começarão a se tornar populares e integrarão TV, telefone e máquina fotográfica. Usarão sistemas inteligentes capazes de entender ordens como “marque jantar com mamãe” e descobrir sozinhos se ela está em casa, na rua ou no médico fazendo a ligaçõo necessária ou até marcando sozinho o compromisso: serão computadores conversando com computadores.
Ninguém mais se importa com quantos Gigahertz tem um computador (você se importa com a frequência do VHF, UHF ou com o processador da sua TV?).
As pessoas começam a esquecer o que é Internet já que tudo está conectado.

20 anos: O trabalho à distância é cotidiano, muitas tarefas braçais são feitas por robôs pilotados por operadores treinados. Os excedentes desempregados se entulham em cidades satélite onde vivem uma civilização paralela (leu Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley?). Novas formas de processamento de lixo darão emprego a boa parte desta civilização marginal. Dispositivos ozonizadores serão instalados em ilhas distantes dos grandes centros para tentar reverter os danos feitos à camada de ozônio.
Os computadores já não são vistos como unidades físicas, é como se existissem em um tipo de rede global.

Futuro distante: Nossa espécie praticamente se extinguirá em 2032, portanto no futuro distante estaremos envolvidos com uma sociedade descentralizada e hologárquica composta por casas esparsas e pequenas vilas autônomas! Hehehe!

Espero francamente que o Jacques Attali em seu Uma Breve História do Futuro seja mais feliz que eu em suas previsões! :-)