Aviso ao visitante casual: Esse ? meu blog pessoal, me chamo Roney e tenho um amigo imagin?rio, o Gato de Sapatos que jura que ? real, mas acho que diz isso s? para me fazer parecer um pouco mais maluco do que j? pare?o

– Oi Roney… Seu blog anda parado, n?? Voc? parou de ter devaneios, colocou os p?s no ch?o?

– Ahaha! Voc? sabe que n?o, meu amigo Gato, mas… Bem, mas…

Tentei parecer seguro aos olhos do meu amigo imagin?rio, mas a verdade ? que n?o sei porque deixei de escrever. Um pouco da ilus?o de n?o estar mais s? depois de encontrar v?rios semelhantes nas pra?as online cada vez mais numerosas. Um bocado por fuga… ? muito mais f?cil ocupar a mente com Bejewled do que delirar com outras realidades prov?veis ou poss?veis.

Mas estou triste.

Sinto falta de esparramar no m?rmore alvo as palavras que seguem cursos que eu mesmo n?o imagino.

Me sinto um assassino por n?o der concedido vida, ainda que ef?mera, a dezenas de personagens que desfilaram pela minha mente nos ?ltimos meses.

Estava mergulhado no mundo real, conversando pessoalmente e ? dist?ncia com pessoas reais, mas um vazio foi crescendo em mim.

Pela primeira vez me ocorre que os artistas n?o escrevem porque est?o sofrendo e precisam desabafar, eles sofrem porque n?o d?o vida aos seus sonhos (e todos somos artistas).

Percebi, e isso sempre soube, que ? uma tolice dizer que temos que viver o mundo real, ora. o mundo real ? acordar, comer, brincar, reproduzir (faz parte de brincar), dormir… A realidade ? vasta demais para se limitar ao real. S? nossos del?rios s?o capazes de, aos poucos, trazerem a realidade para o mundo.

E quem saber? o que ? a realidade… Uma civiliza??o gal?tica e justa? Uma orda de conquistadores batalhando entre as estrelas? O retorno ? vida simples em vilas totalmente integradas ao ambiente onde todos s?o iguais? Ainda n?o sabemos pois continuamos apenas a caminhar.

Cada um que soma sua voz (e quem soma online multiplica) com um lamento fatalista, com o suspiro esperan?oso ou com o brado da vit?ria ajuda a moldar um pouco mais nosso mundo.

– E voc? Roney? Isso explica porque voc? n?o anda escrevendo?

– N?o… Acho que me faltava empatia por essas pessoas fant?sticas que n?o sei se existem, mas visitam meus pensamentos todo dia. Talvez tenha medo que elas se tornem mais reais do que eu, mas quanto menos elas vivem mais ef?mero me torno.

Humm… Receio que esse seja mais um desses posts que s? o autor entender?. Se for assim pe?o-lhe desculpas!

Quem sabe amanh? n?o trago algu?m aqui para compensar essas palavras tr?pegas?