O artigo passou na minha TL agora e achei que compartilhar no FB era pouco. Isso está matando pessoas!!

Leia o artigo One map sums up the damage caused by the anti-vaccination movement.

Eu acho que a nossa civilização precisa URGENTEMENTE melhorar o sistema de ensino, principalmente no que diz respeito a tornar o conhecimento e o pensamento científicos universais e comuns.

Destaque para pensamento científico porque conhecimento científico transformado em dogma não devia nem ser chamado de científico… Tá, devia, mas pseudociência me irrita hehehe.

Mas é sério, muito sério. Se a gente não olhasse para nossos próprios corpos, para a vida no planeta através da lente do pavor da nossa ignorância não estaríamos vendo coisas horríveis como essa acontecendo…

O artigo mais acima relembra que a onda anti-vacinação começou em 1998 quando um pesquisador associou uma vacina de cachumba, sarampo e rubéola (MMR da sigla em Inglês) ao autismo.

Nenhum outro pesquisador conseguiu reproduzir ou confirmar essa pesquisa.

Aí está a falta que faz o entendimento mínimo do que é ciência: um dos princípios é testar tudo. Outro princípio é descartar o que não puder ser comprovado até que alguém consiga reproduzir a experiência comprovando-a.

Era para esse assunto ter morrido ali, mas aí entra outro problema moderno com relação à ciência: as pessoas tem medo dela.

Com o medo a notícia se alastrou como um vírus e agora milhares de pessoas estão morrendo por falta de vacina… E o pior é que nem é necessariamente quem se recusou a tomá-la.

Quem gosta de ciência não entende esse medo pois percebe como ela é clara e cristalina, mas para muita gente o funcionamento das vacinas é misterioso.

Ouço com frequência que é bom ver o mundo com deslumbramento, é bom ver magia no Universo. É verdade, aliás adoro histórias de fantasia seja em livros, seja em filmes.

No entanto a ignorância científica nos mergulha em um mundo assombrado por demônios como bem nos mostrou Carl Sagan.

O funcionamento de uma vacina é simples assim: você dá para seu corpo uma dose pequena de “doença” e ele aprende a reagir a ela. Quando você é exposto ou exposta realmente àquela doença seu corpo já sabe o que fazer. Simples assim.

O medo irracional de vacinas nos levou além da mentira do médico que foi pago para associá-las ao autismo. Nós mergulhamos no sedutor mundo das teorias da conspiração!

Também adoro uma boa teoria da conspiração. Assim como adoro Jornada nas Estrelas ou Fronteiras do Universo, mas a gente precisa saber separar o lazer e a fantasia da realidade.

Vejo muitos com medo de ter “alguma coisa” estranha nas vacinas. Até alienígenas reptilóides já apareceram nesses papos.

Vamos ser racionais?

A vacina está ali na sua frente. Na mão de milhares, talvez milhões de pessoas que as manuseiam até chegarem a nós para serem injetadas.

Bastaria que uma, uma única, dessas pessoas roubasse um frasco e levasse a um laboratório para verificar o que tem na vacina. Se tiver DNA alienígena… Booom!! Estamos em um episódio de Arquivo X!

O recado é o seguinte:

  1. Ser anti-vacina te faz parecer uma pessoa meio… ignorante para dizer o mínimo
  2. Não é só a sua saúde que está em risco! Ao não se vacinar e assustar outros para que também não se vacinem você está colaborando para o ressurgimento de doenças! Fizeram até uma contagem com mais de 100 mil pessoas que adoeceram e mais de mil que morreram por causa dessa moda anti-vacinação. Vale a pena apelar: criancinhas vão morrer por causa disso.

Para pensar

Acrescentando em 12/01/2016 porque voltaram a falar em perigos das vacinas.

Uma amiga no FB perguntou de onde vem esse medo de vacina e acho que minha hipótese acrescenta algo ao que já disse mais acima. Segue:

Explicar as razões humanas não é nada fácil, né? Até porque deve ter pelo menos uns três grupos de “razões” (entre aspas pq não são realmente motivos racionais) para ser contra vacina.

Como vi que tem gente meio confusa acima aqui vão os fatos (que são bem simples):
– Alguns tipos de vacinas oferecem risco de efeitos colaterais pesados sim, mas esses riscos são centenas ou milhares de vezes menores do que não tomar a vacina. Por exemplo: se vacinar tem 1 chance em um milhão de ter paralisia, se não vacinar tem 1 chance em mil de morrer. Melhor vacinar, óbvio.

Se é sempre melhor vacinar (isso sem levar em consideração a nossa responsabilidade coletiva) então de onde vem as ondas anti-vacina?

Acho que a maioria é por causa de uma combinação de dois fatores:
1- Nossa ciência e tecnologia estão avançando tão rápido que os conhecimentos que aprendemos na escola se tornam obsoletos antes de sairmos da faculdade e isso gera uma grande insegurança tanto em relação ao mundo quanto em relação à ciência.
2- Desde o meio do século passado a indústria descobriu como fazer pseudociência para dar suporte aos seus interesses. A gente pensa logo no design inteligente, mas as indústrias de carros, cigarros, alimentos, bebidas esportivas fazem isso o tempo todo criando uma percepção de que a ciência não é confiável.

Mas essa é a minha hipótese, vou colocar aqui um vídeo do scishow sobre de onde vem essa maluquice e depois um longo do Pirula que é bom pq ele sempre vai fundo nas questões que aborda

Vídeo do SciShow

The science of anti-vacination

Vídeo do Pirula. É uma aula de como funcionam doenças virais e bacteriológicas e a história e funcionamento da vacinação.

Vacinas valem a pena?