Imagem de Carl Sagan e o sistema solar
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Pinterest
  • Gmail
  • Tumblr

Carl Sagan e o Sistema Solar – Fonte: Filmin

De tempos em tempos a gente se empolga e escreve uns coment?rios t?o grandes que seria uma pena deix?-los perdidos no rede social onde o escrevemos, n??

Hoje compartilhei o terceiro epis?dio de Cosmos (o do Carl Sagan) destacando a frase final:

“Ele preferiu a dor da verdade a suas ilus?es mais caras. Esse ? o cora??o da ci?ncia”

O que Estimulou coment?rios de duas amigas:

Amiga 1: Vou assistir depois… Mas sabe uma coisa que me incomoda? Esse “fanatismo cient?fico” que se autoatribui a deten??o da “verdade”. A verdade ? que n?o sabemos quase nada e que toda hora mudam-se os paradigmas da ci?ncia… E que sem as ilus?es das nossas d?vidas nunca ter?amos alcan?ado nada na pr?pria esfera cient?fica… Mas ? s? uma reflex?o… =)))

Amiga 2: N?o existe “fanatismo cient?fico”. A ciencia busca respostas baseada em observa??es, testes e evid?ncias. Se novos ind?cios e evid?ncias aparecem, ? normal mudar de opini?o – sempre baseado em provas. Quem imagina que a ci?ncia n?o pode mudar de opini?o, novamente, baseada em evid?ncias, s? precisa entender melhor o m?todo cient?fico.

Conhecendo as duas fiz o tal coment?rio enorme que acho que pode ser ?til para outras pessoas:

? interessante ver duas g?nias conversando e s? eu sabendo que as duas s?o g?nias

Como sou destemido vou entrar no meio

O fanatismo cient?fico existe sim, tem at? o termo cientificismo que basicamente se refere ? ideia de que a ci?ncia explica tudo.

S? que considero (e aqui concordo com a Renata) que os dois s?o anti-cient?ficos e n?o passam de um tipo de religiosidade em sua manifesta??o menos s?bia travestida de ci?ncia para tentar se impor em uma era marcada pelo avan?o do conhecimento cient?fico.

Isso vai ficar do tamanho de um post…

Sempre que vemos “verdade” em um discurso ele n?o ? cient?fico. Todo conhecimento cient?fico ? inerentemente transit?rio.

Ok, ? verdade que mat?ria atrai mat?ria na raz?o direta da massa e inversa da dist?ncia, isso foi vastamente demonstrado no Universo macrosc?pico, mas n?o vale para dimens?es qu?nticas e a explica??o de pq ? assim ainda vai mudar muito (tem pelo menos 3 teorias distintas competindo indo do boson de higgs ?s supercordas e passando pela hipergravidade).

Cientistas s?o humanos, a hist?ria de Kepler mesmo, praticamente pai da ci?ncia moderna (o m?todo cient?fico s? se consolidou um pouco depois dele) se debatia entre o que percebia e o que achava que tinha que ser. Ele chegou a procurar Tycho Brahe porque, como o Universo n?o estava se comportanto como sua hip?tese sugeria, ent?o era o Universo que devia estar errado. Ele foi portanto atr?s de observa??es mais precisas que pudessem confirmar o que ele queria que fosse para corroborar a ideia de que era a m?o de Deus que regia o movimento dos planetas.

? a? que entra a frase final desse epis?dio de Cosmos! Quando finalmente teve acesso aos dados de Tycho (um g?nio da observa??o dos planetas) Kepler percebeu que seu modelo tinha que estar errado.

Kepler poderia ter negado as observa??es de Tycho, poderia ter se fechado em nega??o e teria sido esquecido pela hist?ria ou no m?ximo citado como mais um a se perder no caminho da busca pelo conhecimento, mas ele teve a coragem de ver como somos pequenos, como temos que ser humildes e saber reconhecer o que ? um fato bem observado e ajustar nossas hip?teses em torno deles e n?o tentar inventar fatos que corroborem nossos sonhos.

Essa ? ess?ncia da ci?ncia (aqui no sentido de pensamento cient?fico pois muita gente confunde o conhecimento cient?fico com o pensamento cient?fico, ? bom esclarecer): Preferir a verdade ao que agrada os nossos sentimentos.

Conhe?o bem as duas e tenho certeza que ambas concordam com isso.

Fica o alerta necess?rio de que temos que saber diferenciar o discurso pseudo cient?fico do pensamento realmente cient?fico.

E, claro, a metodologia cient?fica n?o funciona plenamente quando n?o h? a possibilidade de fazer medi??es, reproduzir as experi?ncias ou submeter ao falseamento.