V?rios amigos em minha timeline felizes com a tortura e humilha??o p?blica de um bandido. Pessoas de bom cora??o e at? que participam de projetos sociais, dedicam tempo consider?vel de suas vidas com crian?as ou pessoas marginalizadas.

Sempre que vejo casos assim me lembro de A Piada Mortal.

Lamento pelo spoiler, mas nessa Grafic Novel o Batman e o Coringa s?o retratados como duas manifesta??es do ?dio e da loucura.

O universo do Batman volta a isso no filme que chamo de Coringa, o Filme quando ele, o Coringa, tenta mostrar que n?o h? diferen?a entre as pessoas comuns e os bandidos al?m de uma linha t?nue que qualquer um pode ultrapassar: a do ?dio.

Ter uma certa satisfa??o ao ver o que nos faz ter medo ser humilhado ? normal (ali?s podemos at? lembrar do Ridiculous de Harry Potter) ? normal, mas devemos evitar isso se n?o queremos ser infectados pelo ?dio e, certamente, n?o dev?amos jamais ratificar indiv?duos ou grupos de pessoas que s?o capazes de ser cru?is com outras pessoas mesmo que o alvo deles sacie nosso desejo de vingan?a… A prop?sito desejo de vingan?a raramente nos faz bem.

Sei que ? muito dif?cil manter princ?pios crist?os nessas horas (principalmente quando a sugest?o vem de um ateu como eu hehehe) mas ? necess?rio. Seja por serem princ?pios crist?os, seja por serem princ?pios humanos ou simplesmente por ser mais l?gico que para haver uma sociedade justa todos, absolutamente todos, devem ser tratados com respeito pela sociedade.

O ?dio e a viol?ncia devem ser exclusividade do que ? marginal, do que n?o se inclui na sociedade e que a corrompe.

Infelizmente n?o ? assim que ela, a sociedade, funciona e a crueldade ? um instrumento comum do Estado contra ele mesmo (considerando que somos todos parte do Estado) e vemos a for?a policial “estancar na porrada” professores, estudantes, criminosos e mendigos da mesma forma.

Dif?cil, muito dif?cil, mas se queremos construir um novo mundo temos que tentar reconhecer sempre os desejos que vem do nosso medo ou da nossa raiva.

Imagem: Coringa dizendo “N?o fique quite, fique louco” – Fonte: Nerdtubo