Comea um novo ano. Por 24 horas bilhes de pessoas exatamente como voc e eu pensaram em transformao, incios, reincios e projetos.

No reveillon, enquanto os fogos de artifcio coloriam os cus, eu olhava nos olhos das pessoas (fogos at so engraadinhos, mas pessoas so fascinantes) e acho que entendi um pouco melhor o ano que estava terminando.

Existia ao meu redor um tipo de calma atenta, como o saltador de asa delta que aguarda o vento propcio para se atirar.

As pessoas estavam festejando e bebendo, claro, no estou falando do que elas estavam fazendo, estou falando do que seus olhos refletiam.

2013 foi um ano difcil para muita gente e acho que foi pelo que sentimos e no pelo que vivemos.
Tinha tanta coisa acontecendo dentro de ns que, do nada, explodimos e tomamos as ruas em junho. , aquilo foi sintoma, efeito. No foi causa.

O que estou falando extremamente subjetivo, um insight baseado em um punhado de 100 pessoas no meio de dois milhes, mas quero registrar que estou sentindo que estamos amadurecendo. Na Malsia as pessoas j passaram a virada protestando, em Hong Kong tambm. Vamos ver o que 2014 nos reserva