Testei os argumentos a seguir no Facebook antes de trazer para c? em um post e l? me sugeriram o termo pr?-feminismo que achei bem interessante (obrigado Al? Picoli) e decidi colocar no t?tulo do post e passar a usar.

Antes de mais nada esse post acabou ficando no dia errado pois hoje ? um dia hist?rico: Os EUA acabam de garantir o direito universal ao casamento em todo seu territ?rio!

No entanto a causa do feminismo ? uma das mais poderosas e antigas causas a favor de quem sofre preconceitos ent?o, de certa forma, estou no tema.

A quest?o que me fez escrver ? que existe um movimento crescente de que o feminismo ? uma causa exclusivamente feminina e isso ? t?o forte que fica dif?cil explicar que o machismo n?o fere apenas as mulheres, mas os homens e toda a sociedade.

? claro que as mulheres s?o agredidas pelo machismo de tantas formas que ? dif?cil listar e ningu?m deve sequer tentar lhes tirar o protagonismo dessa luta, mas h? tamb?m uma luta onde o protagonismo deve ser do homem.
Escolhi Billy Elliot como exemplo disso.
S?o outras formas de preconceito: um homem n?o pode ser culto, um homem n?o pode ler, n?o pode ter (ou demonstrar) sentimentos, n?o pode ter profiss?es de menina e, para seguir esses caminhos precisa, quase sempre, enfrentar outro preconceito: a homofobia (que ali?s costuma andar de m?os dadas com o machismo). Mesmo que seja um homem hetrosexual.
As agress?es do machismo contra as mulheres e contra os homens emanam do mesmo tipo de estreotipa??o. Elas emanam do mesmo tipo de preconceito.
Mais uma vez: a agress?o que as mulheres sofrem pelo machismo, assim como a agress?o que os negros sofrem pelo racismo est?o v?rias ordens de grandeza acima do que os homens e os brancos sofrem por terem que se enquadrar dentro dos seus estere?tipos, principalmente porque? nem todo homem ou branco tem a necessidade de se desviar do seu estere?tipo enquanto os alvos de preconceitos simplesmente n?o tem op??o.

No entanto ? fato que o machismo tamb?m imp?e estere?tipos aos indiv?duos de identifica??o de g?nero masculina limitando-os e hostilizando-os quando n?o se enquadram.

O machismo fere os dois grupos de formas diferentes e os dois grupos devem ter o protagonismo em suas causas. N?o podemos cometer o erro de achar que o preconceito ? favor?vel a algu?m. Preconceito age contra todos.

Pode-se criar um novo nome para a causa feminista masculina (e n?o consigo pensar em nada pr?-feminismo parece bem legal), mas o fato ? que o machismo ? uma doen?a que atinge todos n?s. Todos.

N?o se limita apenas a pessoas de g?nero masculino ou feminino, mas a crian?as tamb?m que s?o, desde cedo, castradas em suas qualidades e interesses. Sofrem tamb?m a cultura, a economia, as religi?es (distorcidas para justificar o injustific?vel) e poder?amos estender a lista…

Todos n?s perdemos com todo tipo de preconceito e todos devemos nos mobilizar por uma sociedade que v? muito al?m de respeitar as diferen?as aprendendo a admirar e festejar a diversidade f?sica e cultural do Universo.