Imagem: Captura do clipe 1min20s

Fulana compartilhou Survivor – Clarice Falcão

Beltrano compartilhou Survivor – Clarice Falcão

Cicrana compartilhou Survivor – Clarice Falcão

Cujo compartilhou Survivor – Clarice Falcão

Ô saco, que que tá todo mundo compartilhando a mesma coisa de novo? Volta e meia ? isso!

Ah! Entendi… PQP! Que clipe, vídeo, pessoas, mensagem, direção, pessoas, mensagem, posso falar em pessoas e mensagem de novo? Que foda!

Alguém dá um prêmio de força e profundidade de sentimento para a mulher aos 1 minuto e 20 segundos.

Caso você esteja pensando em falar algo do tipo “Oportunista essa Clarice fazendo vídeo feminista”, pare. Apenas pare. É auto-humilhação dizer isso, ok? Se ela está sendo oportunista é problema dela, o tema poucas vezes foi tão oportuno e que venham muitos outros trabalhos como esse!

É verdade que dá um certo nervoso quando todo mundo começa a compartilhar alguma coisa. Ficamos pensando que não podemos ficar de fora, mas que estamos cheios de trabalho.

Tem bons e maus motivos para não querer ficar de fora. No meu caso, felizmente, é porque quase sempre o que muitos amigos meus estão compartilhando é algo muito bom ou importante.

Para traduzir esse clipe eu teria que produzir um texto literário à altura, assista e entenda o que ele tem a dizer.

Só vou acrescentar o que ele me causou.

Primeiro: só vi pessoas lindas. De verdade! Tenho sorte de, em algum momento da minha vida, ter aprendido a ver a beleza e entender que juventude e certos padrões são apenas uma forma que ela assume e que ela sempre precisa do suporte de outra coisa para ser completa: da força, profundidade, intensidade que vemos através dos olhos.

Segundo: é um pensamento recorrente nas últimas semanas. Sabe aqueles filmes com guerreiros que tem poderes sobrenaturais e, a um golpe de espada, derrubam um exército? Esses guerreiros existem. Encontram suas melhores encarnações em mulheres ao longo da história, mas eles estão em cada um que mergulha nesse misterioso lago repleto de significados como empatia, diversidade, respeito, compaixão, reflexão, sabedoria, humildade e muitos outros que resumimos em humanidade.

É por isso que a humanidade sempre prevaleceu mesmo quando olhamos para trás onde sempre houve mais medo, ódio e ignorância do que há hoje.

A palavra sempre venceu a espada e agora ela está livre das limitações do papel, da pena e do nanquim. Ela se espalha pelo ar, em sons, imagens, melodias, expressões e nuvens de caracteres.