As luzes da cidade no passam de reflexos plidos na janela. A lmpada do corredor derrama um vu de claridade s minhas costas… Inspiro… Vazio… Espiro… Vazio… Minha mente mergulha nos tons do espectro ultra-violeta, para o lado oposto agitao do dia… A velocidade da cidade que se engendra em meus msculos e tendes… Vazio…

Mar… O som do mar uma fantasmagoria em meus ouvidos, uma tentativa da mente em busca de estmulo… Aceito e… Vazio… Espira…

Minha conscincia se desliga do corpo… Vazio… Flutuo pelo Cosmos e ento j no h mais Cosmos… Vazio… Um aniversrio essa semana… Bons amigos, sorrisos, abraos, carinho… Aceito e deixo ir… Vazio…

Uma brisa… Meu cabelo acariciado pelos elementos, pela suavidade do ar… Sorrio… Aceito… Deixo ir… Vazio…

Quanto tempo passou? Estou perdendo tempo? Tempo… Tempo… Tempo! Sinto o corao se expandindo e contraindo no peito… Aceito… Sinto… Deixo ir… No vai… Lembro que o dia acabou… O tempo agora me pertence e infinito… Imagens do dia me perturbam… Se repetiro… Mas agora o tempo me pertence e infinito… Aceito… Deixo ir… Vazio…

Inspiro… Espiro… Oummmm… vazio… Oummmmm… vazio… vazio… Oummmmmm…. vazio… vazio… vazio…

A conscincia se dissolve, j no sinto a bruma que circula, sou a bruma que circula, ela no me perturba, ela me embala… vazio… Luz… Intensa… Vasta… Infinita… Circula pelo meu corpo… Brilho como a prata… Reflito como cristal… Aceito… vazio… Me preencho do vazio e no vazio me encontro sem contornos, infinita…

Crditos da imagem: Cyn Cardoso