Bem, sou casado com tradutora e tenho muitos amigos tradutores, mas no traduzo. Aqui vou falar no papel do adolescente que fui h 30 anos e dos amigos que tenho hoje com menos de 14 anos.

Lembro bem que aprendi a palavra "pernstica" em um livro chamado O Caso da Borboleta Atria que l com uns 10 anos ou menos. Teve tambm a srie Monitora (ou esse era apenas o nome da nave que ocupava a posio central da histria?) que era rica em conceitos de fsica como "energia do nada" e li na mesma poca.

No, eu no sou um gnio, no fui criado em uma realidade alternativa onde as pessoas escreviam livros especiais para deixar as crianas mais inteligentes. Sempre houve livros idiotas para crianas idiotizadas (no necessariamente idiotas de fato).

Hoje temos livros como Desventuras em Srie de Lemony Snicket, Fronteiras do Universo de Philip Pullman (para a faixa dos 14 eu diria) e Artemis Fowl de Eoin Cofler (onde vemos palavras como "algaravia") que no substimam a inteligncia das crianas.

No entanto, em um papo com amigos tradutores lembrei do  O Misterioso Assassinado de Fedora Exclamao de Glauco Damas, autor nacional que foi rejeitado por uma editora por ser "difcil demais para crianas" e hoje vende bem.

Fico pensando nas crianas de 5 anos que sabem os nomes de todos os mais de cem pokemons e todas as suas transformaes, digo, evolues pois se eu trocar o nome elas logo viro me chamar de burro! Dos jovens com 8 anos que sabem os nomes de dezenas de espcies de dinossauros.

No se trata de um fenmeno de nicho, de crianas super-dotadas. Toda criana uma mquina absurda de absoro de informaes e saber absolutamente tudo sobre o que a interessa. A diferena est no objeto do interesse que pode ser letras de msicas, personagens do Discovery Channel, nomes de jogadores de futebol…

Ao escrever para o pblico infantil no deveramos jamais subestim-los! Se a nossa histria de scifi as crianas que vo se interessar em l-la provavelmente conhecero melhor as referncias do que ns. Por exemplo, seria necessrio "aliviar" uma referncia como "- Podemos ser atingidos por um phaser! – Isso s existe em Jornada nas Estrelas" trocando por algo como "-Podemos ser atingidos por um raio laser! – Isso s existe em fico cientfica"?

Talvez se a srie fosse Seres do Amanh (abertura abaixo) sim, mas, por incrvel que parea, MIB, ET, Jornada nas Estrelas, Star Wars (eles chamam assim mesmo, em Ingls) e outros cones de dcadas passadas so bem conhecidos por essa galera.

Ento como escrever e traduzir livros para esse pessoal?

Falando do ponto de vista de um adulto que foi uma criana que lia muito e conversa com muitas crianas na faixa dos 10 aos 15 (quase todos que lem leram ou pelo menos conhecem Harry Potter e Senhor dos Anis)…

  1. Nunca subestime uma criana. Lemony sabe bem disso e, apesar de escrever para a faixa dos 8 anos distribui palavras realmente complexas em sua obra, sempre brincando com seus significados. Philip Pullman, que escreve para um pblico mais velho, no subestima a maturidade emocional dos seus leitores, lembre-se das fbulas que nossos avs ouviam antes de dormir… Eoin Cofler no subestima a maturidade moral ao apresentar um heri que um vilo.
  2. Viva o universo jovem. Leia livros, veja filmes, assista desenhos e converse com eles.
  3. Saiba definir bem o seu pblico, primeiro em faixa de interesse, depois em faixa de idade. Crianas de 8 anos que vo ler um livro onde pssaros so parte importante da trama absorvero bem um "o ornitlogo pegou delicadamente o frgil pintasilgo Spinus Culcullatus" mesmo sendo algo incompatvel com sua idade.
  4. No subestime uma criana… Vale a pena repetir! Confie na sua boa editora para avisar que voc exagerou.

Notei que minhas sugestes esto parecendo regras, no so! Esse post um apelo de uma ex-criana para que, vou dizer novamente, no subestimem as crianas de hoje (mesmo que voc esteja lendo esse post 50 anos depois que o escrevi).