Capa do livro O Fim da Inf?ncia de Arthur C. ClarkeT? l? a humanidade dedicando-se ?s suas disputas, corridas e guerras quando a chegada de uma enorme frota de naves alien?genas marca o fim da inf?ncia da nossa esp?cie.

Isso est? na orelha de O Fim da Inf?ncia, recentemente retraduzido por Carlos ?ngelo.

O que n?o sabemos ao come?ar a ler ? como, apesar de ter sido escrito h? quase 60 anos, ele ainda ? uma lente perturbadora do nosso trajeto evolutivo.

A humanidade ser? capaz de fazer a transi??o para a idade adulta sem a interfer?ncia de deuses ou outra ra?a muito mais evoluida?

A prop?sito, s?o duas possibilidades bastante improv?veis, mas vale nos perguntarmos:  esse tipo de amadurecimento for?ado seria bom para n?s? Seria realmente bem intencionado?

Clarke nos alerta para o perigo de uma era de ouro onde n?o precis?ssemos mais trabalhar t?o duramente (em vez de cozinhar ter?amos fornos de “radar” por exemplo), tiv?ssemos mais liberdades individuais e uma oferta virtualmente ilimitada de entretenimento.

Isso tudo est? acontecendo. E parece bom.

Compre na Amazon

Apesar de ainda persistir um senso comum de que a humanidade n?o tem futuro (de certa forma tamb?m presente em O Fim da Inf?ncia) provavelmente nunca fomos t?o livres, tivemos tantas fontes de entretenimento ou pudemos viver vidas t?o hedonistas e inconsequ?ntes.

Sei que h? uma aparente preocupa??o com o “meio ambiente”, mas, francamente, a grande maioria se diz preocupada apenas por desencargo de consci?ncia (repassa emails), mas n?o se disporia a fazer sacrif?cios reais para ajudar seus filhos.

N?o se trata de maldade ou ego?smo, mas de mera falta de vis?o, justamente a mesma que domina nossa esp?cie ao longo do livro.

Felizmente h? muitas coisas que Clarke n?o conseguiu imaginar e talvez sejam capazes de destrancar algumas portas a caminho da maturidade humana.

Definitivamente n?o somos mais uma civiliza??o de espectadores que se satizfaz em consumir a arte do passado e se encosta indolentemente sem exercitar o que nos torna humanos: a capacidade de criar.

Ele, quase ningu?m na verdade, tamb?m n?o imaginou que ao fim da primeira d?cada do s?culo XXI a humanidade estaria t?o dedicada ? remo??o das fronteiras f?sicas sequestrando a rede mundial de comunica??es e transformando em uma forma totalmente nova de rede de relacionamentos.

O pr?ximo passo, j? em curso, ? a dissolu??o das na??es com o fim das fronteiras culturais e… bem, leia o livro :-)

O Fim da Inf?ncia parece antigo (e ?), mas al?m de n?o ser infantil como tantas obras do s?culo passado, nos coloca de frente com uma s?rie de transforma??es que ach?vamos que jamais ser?amos capazes de fazer sozinhos, mas, para nossa surpresa, est?o acontecendo…