Depois de ler um bocado do que os articulistas políticos dizem e dar ouvidos aos meus amigos de direita e de esquerda cheguei a uma conclusão, na verdade duas:

Comunistas não entendem a natureza humana, capitalistas não entendem a natureza.

Estamos lascados! ;)

De um lado a esquerda sonha com uma humanidade que se tornará imediatamente boa se não houver a sedução maligna da sociedade do consumo.

Do outro lado temos a direita incapaz de compreender que saúde econômica sem saúde ecológica não é interessante para a humanidade.

Creio que se você refletir por um segundo não terei que explicar melhor o que eu quis dizer na citação acima.

Como não sou um destes profetas do apocalipse que andam com um cartaz “O fim está próximo” colado no peito tenho que escrever mais um parágrafo com o comecinho de uma sugestão para resolver este impasse.

Não havendo nem como converter imediatamente a humaniade em buscadores do auto-aperfeiçoamente como gostaria a esquerda e nem como dar um coração e um cérebro para as grandes corporações (que se comportam como o Homem de Lata e o Espantalho de ‘O Mágico de Oz’) resta-nos um caminho de transição suave.

Devemos perseguir o capitalismo socialmente responsável pressionado pela organização da sociedade em torno de uma nova democracia participativa.

Isso já mereceu alguns comentários e ainda merecerá outros, mas hoje eu precisava dar o viés inicial.