Rede e Parapente

Primavera em uma das cidades mais quentes do mundo, uma brisa suave contraria a fama do Rio 40 graus.

No mundo dos homens e mulheres, no entanto, a rede que enquadra a liberdade do surfista impulsionado pelo vento que ainda sopra em seu parapente é uma metáfora para tempos sombrios em que o fascismo volta a seduzir…

A quem ele seduz?

Quantos mais ainda serão iludidos para suas tramas que não se deixam deter por diferenças de viés?

Em 24 de setembro de 2016