Tecnopapo: RoR, Frameworks, Java etc.

Hoje sou consultor em hospedagem de sites e o que chamo de presença ou até encarnação online, mas até bem pouco tempo o meu ambiente eram grandes multinacionais, gestão do conhecimento e coisas como mainframes, CORBA, SAS, DB2 etc.

Em dois anos muita coisa acontece. Surgiram Ruby on Rails, Python (agora com Django) e o próprio mercado de computação mudou radicalmente. Eu estava desatualizado.

Foi então que recebi um convite do pessoal da Neki me chamando para uma palestra sobre Web2.0 com Jboss Seam. O email com a propaganda era meio esquisito e quase não fui, ainda bem que mudei de idéia!

A primeira coisa divertida foi, no intervalo, ser abordado por um dos simpáticos anfitriões:

– Então, mudou a sua impressão? Está gostando da palestra Roney? – Pensei "Impressão? Que impressão? Cheguei aqui calado e calado fiquei…"

– Todo mundo aqui leu o que vc disse na Internet, que a propaganda enviada por email estava estranha, fui eu que fiz… O designer já tinha ido e…

Esta é uma ótima lição! Cuidado com o que vc fala na Rede pois nunca sabe quem está escutando!!! Ainda bem que eu não tenho o hábito de falar coisas de que me arrependa depois e respondi prontamente que "A palestra está excelente, mas não deixe o designer sair mais cedo!"

A palestra foi realmente muita boa. O palestrante demonstrou excelente domínio tanto da linguagem quanto do Jboss Seam e o nível da audiência também me surpreendeu!

Lembro de quantas vezes me decepcionei 15 anos atrás quando entrava em contato com empresas tidas como grandes desenvolvedoras, mas não conheciam o básico de herança, polimorfismo e outros conceitos de OO.

A partir daqui este post só é interessante se você programa, ou seja, se você escreve códigos que fazem os computadores fazerem coisas! 😉

Se você é uma dessas pessoas estranhas e essenciais então sabe que há dois grandes substratos de aplicativos online:

  • Corporativo: dominado pelo ambiente Java, .Net (argh) e, mais raramente Python e outras linguagens
  • Pessoais e médias empresas: dominado pelo PHP (WordPress, Joomla, Zencart, B2, phpBB etc.)

Há centenas de razões para não usar outra coisa que não seja java em uma intranete ou extranet corporativa, o problema é que, com o desenvolvimento das outras ferramentas e um atraso no desenvolvimento do Java, muita gente começou a pensar seriamente em migrar, por exemplo para o RoR.

Preciso explicar o Ruby on Rails? Se você é webmaster, webdesigner ou webqq coisa e não sabe que o Rails é um tipo de framework que torna impressionantemente fácil desenvolver sistemas web com a linguagem Ruby então você está muito atrasada(0)!! Corra já! Corra agora e vá se informar pelo menos sobre Java, RoR, Python e PHP.

Depois de muito tempo sem conseguir propor algo como o Rails para o Java finalmente surgiu o Jboss Seam que é duas coisas:

  • Um framework similar ao Rails (ou o Django para Python)
  • Um integrador de frameworks, o que significa que vc pode utilizar e estender a infinidade de frameworks para Java sob o guard-chuva do Jboss Seam.

Bem impressionante.

Continuo acreditando em uma fronteira bem definida entre os recursos disponíveis para os sites mais comuns (lojas online, portais, blogs, comunidades etc.) que impossibilitam o uso de java e outro segmento da rede que consiste em mega-portais ou lojas e sistemas corporativos de BI, Business to Business que PRECISAM de algo escalável como o Java.

… Se você não sabe o que é escalável volto a sugerir que corra para se informar! A cada dia que passa é mais importante que um site seja muito mais que um site, que ele tenha recursos dinâmicos que vão muito além de um campo de comentários ou um formulário de contato.

No final das contas fiquei com excelentes impressões:

  • É muito bom ver como as nossas empresas de software cresceram em qualificação
  • Fiquei muito feliz em saber que nosso governo abraçou o opensource e não admite que lhe vendam caixinhas exigindo prestação de serviços e personalização. Este é um passo importante para um país em desenvolvimento
  • o Jboss Seam parece capaz de dar uma arrumada no Java e revitalizá-lo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *